03/07/2011

[Resenha] Conexão Magia


E se a magia existir aqui, agora, sem varinhas mágicas ou vassouras voadoras? E se muito pouco for preciso para se enxergar além do véu que esconde o inacreditável, oculta a conexão com a magia? E se os povos mágicos existiram entre nós o tempo todo, seus poderes disfarçados para não serem perseguidos, dizimados, queimados em fogueiras?
Vamos encontrá-los nesta história, porém não em locais míticos ou castelos distantes. Os clãs pertencentes à magia estão pelo mundo e nas cidades brasileiras, como São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro, carregando tradições, convivendo com a modernidade – e ainda recordando as palavras de poder ancestral.
Gael, um estranho adolescente que foi adotado ainda bebê por uma família humana, descobre que é alguém que jamais deveria ter nascido. Caçado como um animal, ele precisará correr contra o tempo para escapar da morte e salvar sua família adotiva. Enquanto isso, uma terrível guerra entre os clãs mágicos está prestes a explodir, sem que os humanos sequer desconfiem do perigo que estão correndo.

Depois do sucesso de Sangue de Lobo, Helena Gomes e Rosana Rios nos apresentam a história de Gael, que tem uma família, no mínimo, diferente: um tio que tentou matá-lo, uma mãe que o abandonou, um pai que nem sabia de sua existência, um avô que deseja sua morte... Coisas que ele nem desconfiava até o dia em que foi atacado por um sujeito singular, que se destacava na multidão com seu cavalo e vestes de guerreiro medieval. Depois disso, ele envolve a si e à sua família adotiva em um mundo secreto, invisível as pessoas normais, cheio de tabus, regras e um equilíbrio político completamente precário, onde qualquer desentendimento poderia levar tudo ao desmoronamento.
Enquanto todos estão ocupados pensando na sobrevicência de Gael -- ou em sua cabeça servida em uma bandeja de prata --, a situação piora quando um deus celta antigo é invocado. Crom Cruach tem o temperamento perverso e planeja impôr sua soberania sobre todos os clãs mágicos, ocultos dos humanos. Como vencê-lo? Qual a verdadeira história por trás do nascimento do mestiço Gael? Porque muitos desejam sua morte? O que sua existência significa? Há esperança para o fim da intolerância às diferenças?
O livro é dividido em três partes: Humano, Brácaro, e Jaguara. Em cada uma delas, vemos as mudanças no personagem principal, o filho de três mundos. A forma como Gael amadurece é perceptível, com o desenrolar da história ele vai adquirindo as característica guardadas em seu sangue, como a coragem brácara e a determinação jaguara. Ele se torna o herói que esperávamos que fosse.

Com toda a calma possível, [...] encostou a lâmina da espada em seu próprio pescoço. Morrer no lugar de quem, indiretamente, lhe dera a vida, soava como um ato justo no meio de tanta intolerância.

A capa, feita por Marcelo Martinez com a ilustração Moises Braga, nos mostra Gael, Anuk e Shantel, numa representação fiel da descrição das autoras no livro. Acho que a cor ficou muito escura, de um modo que não conseguiu captar tanta atenção como a editora pretendia. Fora isso, adorei os efeitos usados (não sei o nome, então não vou arriscar – rs) que fizeram o seu papel e deixaram a capa mais atraente. Falando em papel, apenas uma curiosidade! Durante a leitura, notei que as folhas são mais finas. Quem olha esse livro nunca diz que ele tem 430 páginas! Voltando à história...
É um livro muito bem escrito, muito bem trabalhado. Percebe-se a dedicação das autoras no modo com a trama é tecida, no modo com tudo sempre se encaixa e nas constantes surpresas que o leitor vivencia. Conexão Magia (Editora Rocco, 430 páginas) é imperdível para aqueles que gostam de feitiços, clãs mágicos, batalhas e muita aventura. Uma leitura divertida que faz você querer se conectar à magia para conjurar mais um volume de aventuras de Gael, Anuk e outros personagens cativantes.