08/10/2011

Nas Entrelinhas com Livia Lorena

A entrevista de hoje é com a autora Livia Lorena, que escreveu o livro Redenção. Espero que gostem!

1)Quem é a autora Livia? Que tipos de histórias gosta de escrever? Quais gêneros de livros gosta de ler? Oie gente! Em primeiro lugar, muito obrigada Gislaine pelo espaço e espero que gostem do resultado da entrevista. Meu nome é Livia Lorena, tenho 25 anos, nasci em Fortaleza-CE e moro desde muito nova em São Paulo-SP. Como autora eu sou uma pessoa ligada nas tendências, mas que não busca só nelas suas leituras. Gosto de saber o que está em alta no universo literário, mas me dei conta de que as minhas leituras quase sempre são livros que eu escolho por simpatia mesmo. Tenho o hábito de ler desde muito nova, nem me lembro ao certo desde quando, mas lembro de ir à biblioteca da escola, quando eu estava na 1ª série, para trocar os livros lidos por outros.
Eu sou fascinada por livros de aventura e fantasia, daqueles que me fazem voar para bem longe da realidade, por isso acho que gosto tanto de escrever minhas próprias histórias com essa temática. Anos atrás escrevi um livro em parceria com uma amiga da época, chamado As Jóias de Era, bem coisas de bruxas com poderes elementais. Ainda hoje morro de vontade de arrumá-lo, para quem sabe tentar uma publicação, mas como atualmente minha cabeça tem estado voltada só para meus vampiros, por enquanto não dá. rs


2) Você ao escrever um livro usa a metodologia de planejar toda a historia do livro antes de escrevê-la ou você costuma deixar a imaginação surgir enquanto escreve? Uau! Adorei essa pergunta!
Então... Com relação ao Redenção eu deixei a minha cabeça ir trabalhando por etapas. O processo foi mais ou menos pré-estabelecido. À medida que as idéias iam surgindo eu ia escrevendo, como em blocos para não parar o processo criativo da história, depois eu estruturei mais ou menos a história como a temos hoje. O enredo em si eu já tinha, só não tinha características das personagens, o que pode parecer engraçado. Ruby e Aaron eram meros Fulana e Beltrano quando iniciei o livro. Já com relação ao segundo livro da série, que está em fase embrionária, eu já tenho um roteiro escrito do começo ao fim, basta passar meus pensamentos para o papel agora. Para os novos escritores acho que esse método é bastante interessante, porque dessa forma acredito que fica mais difícil de nos perdermos e sofrermos grandes influências externas no decorrer da história.

3)Além de Redenção, você tem outras histórias a caminho? Hihihi. Como dito anteriormente, tenho sim! O segundo livro da série, que dá continuidade à história de Ruby e Aaron, e que tem o nome de Sacrifício. Além desse livro, tenho outras idéias na cabeça, mas a continuação é minha prioridade, mesmo porque, acreditem, eu sou incapaz de escrever duas histórias ao mesmo tempo. rs

4) O livro Redenção fala, em geral, de vampiros e de amor. Você sempre gostou desse tipo de história? Qual foi o primeiro livro ou primeiro filme que ajudou você a se interessar pelo gênero? Pois é... Eu acho que sempre gostei de tudo o que é sobrenatural e principalmente o que envolve vampiros. Todo mundo que me conhece sabe... Não sou nenhuma super fanática, mas acho o mito extremamente tentador. Sempre que têm vampiros no meio eu procuro conhecer, saber um pouquinho, seja livro, filme, série, anime... Quanto ao primeiro filme, eu diria que o Drácula de Bran Stoker e Entrevista com Vampiros da Anne Rice, foram os meus primeiros contatos. Me apaixonei pelas histórias e deu no que deu... rsrsrs

5) Quais foram as suas inspirações para escrever Redenção? Além de Anne Rice, e Bran Stoker, tenho que comentar sobre os animes Blood Plus e Hellsing. Tem os livros do André Vianco. As inspirações surgiram da bagagem acumulada sobre o gênero ao longo dos anos ( a velha falando rs).

6) Tenho que confessar que, o que me chamou atenção de imediato foi o título do livro e a capa. Qual a relação entre esse dois elementos com a história? O que o título nos conta sobre a história? Nunca me fizeram essas perguntas e eu acho demais que você as tenha feito!
O Redenção já teve umas quatro capas, todas feitas por mim. A capa atual, da moça envolta no lençol manchado com sangue, com um ar meio diabólico, revela um pouco do que podemos esperar da personagem principal. Ela não é uma vampira diabólica em si, mas tem um lado dela que se vê tentado a todo instante pela sede de sangue. De todas as quatro capas, essa é a que eu mais gosto, dá pra perceber a evolução, não só da parte artística, mas também da história. O título do livro surgiu do nada na minha cabeça e eu fui pesquisar sobre o significado da palavra em outros contextos e aspectos. Vi inclusive no conceito religioso. E honestamente o título caiu feito uma luva na história contada. A Ruby, não só ela, busca no decorrer do livro, a redenção, descobrir os reais motivos de ter sido a escolhida para carregar um fardo tão pesado, quanto a imortalidade. Digo isso, porque junto da imortalidade vem uma desgraça atrás de outra. São coisas terríveis que ela simplesmente não consegue entender. Uma vez eu disse, que antes de ser um livro de vampiros, Redenção é um livro que trata de alguém que se vê diante de escolhas que não só o afetarão, mas como poderão mudar a vida de muitas outras pessoas. Uma história de uma humana, como eu e você, que se vê num mundo completamente novo da noite para o dia. Aí eu pergunto... O que você, nobre leitor dessa entrevista, faria se estivesse no lugar da Ruby? Por qual lado você optaria? Você abandonaria tudo e todos que ama, para viver eternamente ou não?

7) Se fosse feito um filme a partir do livro Redenção, quem seriam os atores que você gostaria que fossem escolhidos para os personagens? E qual seria a trilha sonora principal? Tá vou confessar que já sonho com isso. Sério! Eu fico pensando se eu poderia ajudar a dirigir a adaptação para o cinema... Coisa de doida né? Sobre os personagens eu adoraria ver o Matt Bomer para o Aaron (da série White Collor), Natalie Portman para Ruby, sempre penso neles como casal principal e o engraçado é que nem sei as razões. Para Stéfano Daniel Craig, para Josefh Josh Holloway. Esses são os que eu sempre imagino.
8) A capa do livro Redenção é muito interessante pois causa muita curiosidade, além de claro, ser linda como já disse anteriormente. E para você, alguma capa de livro lhe causou este mesmo efeito? Quais? Atualmente o que vemos são muitas capas lindas no mercado. Acho que nunca vi tantos livros de capas lindas e diferentes como agora, mas uma que me fez parar para pegar o livro e comprar foi o de Crepúsculo, foi a primeira coisa que me chamou a atenção. Sei que poderia citar outras, mas essa é que eu me lembro mais no momento. rs

9) A internet está presente na vida de muitas pessoas hoje, e graças à ela vejo muitos autores, editores, profissionais da área literária estreitando laços com seus leitores, com o público que tem acesso à tecnologia. Qual sua opinião sobre isso? Quais são os prós e contras, na sua opinião, da tecnologia estar estreitando laços com a literatura? Mais uma ótima pergunta! Acho que hoje em dia a internet tem uma função não só de propagar, mas como de nos informar sobre tendências do mercado e atualidades. Sou uma verdadeira escrava da web porque ela me possibilita a troca de opiniões, o recebimento de feedbacks e a troca de experiências. Ter contato com o público que é apaixonado por livros e saber diretamente deles, o que pensam sobre minha história me deixa imensamente feliz e ainda me dá a possibilidade de ver meus acertos e erros, buscando assim aprimoramento. No tempo que tenho o blog Redenção no ar e que me cadastrei em sites de leitores, como Bookess e Skoob, percebi que mesmo correndo o risco de não ser aceita e ser muito criticada, tenho na mesma proporção a chance de ter meu trabalho destacado, o que basicamente só depende do que eu tenho para oferecer. Conheci tantas pessoas maravilhosas, tantos novos autores, tanta gente legal que seria impossível conhecer de outra forma. Já troquei experiências, dicas, fiz parcerias e hoje continuo batalhando, para propagar e divulgar não só o Redenção, como também todo o processo de se escrever um livro e sua publicação.

10) Agradecemos pela entrevista e deixamos este espaço para que deixe um recado final para os leitores do Paraíso da Leitura. Antes quero mais uma vez agradecer ao espaço e a oportunidade. Espero que tenham curtido minhas respostas, porque as perguntas foram ótimas. Respondi com todo o meu coração e espero que consigam sentir isso. O que eu tenho a dizer é que se você é escritor amador, gosta de escrever contos, poemas, grandes histórias ou que for, e tem o sonho de ver seu trabalho numa estante de livraria, corra atrás desse sonho, corra sem medo de ser feliz. A gente quebra a cara às vezes, mas o negócio e não ter medo e dar a cara a tapa para o que der e vier. Aceite críticas construtivas, opiniões, quanto às críticas destrutivas não ligue, essas sempre estão aí e também nos fortalecem. Contem comigo, para trocarmos experiências e dicas. Desejo que quem for ler o meu livro Redenção, consiga se sentir dentro da história da Ruby, consiga captar cada sentimento e dor pela qual ela passa. Assim já ficarei mais feliz por saber que meu dever foi cumprido. Beijos no coração e muito SUCESSO.