29/10/2011

[Resenha] Questões do Coração


Tessa Russo é mãe de dois filhos e esposa de um renomado cirurgião pediátrico. Apesar de todos os seus receios, ela recentemente abandonou sua carreira para se concentrar em sua família, na busca pela felicidade doméstica. Por fora, parece destinada a viver uma vida encantada.
Valerie Anderson é uma advogada e mãe solteira de um garotinho de seis anos, Charlie, que nunca conheceu seu pai. Depois de muitas decepções, desistiu do amor e até mesmo das amizades, acreditando que é sempre mais seguro não criar muitas expectativas.
Embora as duas vivam na mesma área de Boston, ela têm pouco em comum, com exceção do amor incondicional por seus filhos. Em uma noite, um trágico acidente faz suas vidas cruzarem-se de maneira inimaginável.
Com pontos de vista alternados e absolutamente bem delineados, Emily Giffin cria uma história comovente e brilhante sobre pessoas de bem que passam por circunstâncias insustentáveis. Todas sendo testadas como nunca imaginaram ser possível. Todas questionando tudo no que um dia acreditaram. E todas, por fim, descobrindo o que realmente importava.


"A vida não é divertida o tempo todo, e quase nunca é fácil [...] "
A vida é imprevisível. Nunca sabemos quando algo ruim está para acontecer. Não há como sabermos.
Mas não é assim que Valerie se sente quando seu pequeno Charlie sofre um terrível acidente. Afinal, sendo mãe do garoto, ela deveria ter tido algum tipo de pressentimento. Deveria saber. Não importava como, ela só... tinha que saber.
O fato é que coisas ruins têm que acontecer para que as coisas boas tenham a chance de ocorrerem.
No hospital onde Charlie estava internado, Valerie conhece Nick, um renomado cirurgião pediátrico. Bonito, sexy, gentil. Completamente perfeito se não fosse por um detalhe -- era casado.
Tessa, esposa de Nick, récem-abandonou o emprego para aproveitar cada detalhe da vida de seus dois filhos, Ruby e Frank, apesar da insistência de sua mãe em dizer que isso acabaria com seu casamento. Ela passou a se preocupar apenas com coisas pequenas do dia-a-dia, como lanche da escola, a arrumação da casa e fazer com que seu marido se sentisse bem e feliz.
Com suas vidas unidas por um infeliz acaso, essas duas mulheres finalmente vão aprender a dar valor ao que é realmente mais importante.
O pior erro que podemos cometer é criar muitas expectativas em relação a um livro. Foi isso o que aconteceu com Questões do Coração (Editora Novo Conceito, 438 páginas). Li tantas resenhas positivas sobre ele que acabei pensando que me depararia com o livro mais incrível e emocionante da minha vida.
Me decepcionei.
Afinal, a história de Tessa e Valerie, na minha opinião, não é tão intensa assim. É sim uma ótima história, claro, mas sinto que poderia ocupar menas páginas, ter menas enrolação. Não sei. O livro só não conseguiu me encantar como esperava que acontecesse.
Enfim, recomendo este livro, mas não cometam a mesma burrice que eu. Leiam, mas sem compromisso. Não esperem algo grande demais.