20/12/2012

[Resenha] Praticamente Inofensiva

Trinta anos ceçebrando a genialidade cômica de Douglas Adams...
Praticamente Inofensiva é tão polêmico quanto seu criador. Muitos o consideram o último volume da série O Mochileiro das Galáxias e outros afirmam tratar-se apenas de um título independente que apenas utiliza os mesmos personagens. Parte dessa controvérsia se deve aos 13 anos que separam este livro da primeira aventura de Arthur Dent, já que Adams iniciou a coleção no final dos anos 1970 e somente em 1992 retomou a história.
As inúmeras mudanças políticas, culturais e, principalmente, tecnológicas que aconteceram nesse período influenciaram os rumos da narrativa e tornaram Praticamente Inofensiva uma obra singular. Mas, em vez de perder o tom, Adamsn é ainda mais irônico e profundo ao divagar sobre a vida, o Universo e tudo mais.
Situações hilárias, personagens imprevisíveis, descrições poéticas e paisagens surrealistas se mesclam com perfeição, resultando numa trama cheia de suspense, comédia e filosofia. Depois de muitos anos, Arthur Dent, Tricia McMillan e Ford Prefect se reencontram. Mas o que deveria ser uma festejada reunião de velhos amigos se tranformas numa terrível confusão que põe em risco a vida de todos.
Praticamente Inofensiva é o toque final de Adamsn nessa divertida história: ele é o último presente do autor para os mais de 15 milhões de fãs que adotaram sua obra como ícone de uma geração.

CONTÊM SPOILER LEIA O GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS, O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO, A VIDA, O UNIVERSO E TUDO MAIS E ATÉ MAIS, E OBRIGADO PELOS PEIXES! ANTES DE PROSSEGUIR.




Introdução
Neste volume final acompanheamos cada um dos nossos queridos personagens em seus caminhos que, como sempre, acabam dando um jeito de se cruzar.
Claro que, se tratando de Arthur, Ford e Tricia, a vida que levam é pacata: um procura seu planeta pelos Universos paralelos, outro invade a sede de uma grande editora, e a outra viaja no tempo trazendo para o presente notícias do futuro.
O que poderá acontecer quando esses três encrenqueiros se reunirem?

Espaço
Como jáé de praxe, não vou nem tentar mencionar todos os lugares por onde passaram, se não você ficarão loucos antes de tentar ler o livro.

"Arthur Dent já estivera em alguns buracos sinistros em sua vida, mas jamais havia visto um espaçoporto com uma placa dizendo: 'Mesmo viajar de má vontade é melhor do que chegar aqui.' [...] As pessoas naquele planeta tinham uma única ambição: cair fora." pág 50

Já mencionei que as descrições de Douglas são ótimas? Creio que só nas últimas quatro resenhas, não é? Vocês estão livres, é o último volume.

Tempo
É até engraçado tentar falar sobre o tempo nessa série: é impossível. Ora estão o passado, ora no futuro, ora em outra dimensão... Creio ser até uma boa coisa não haver indicações de passagem de tempo, caso contrário o leitor ficaria, no mínimo, muito confuso.

Personagens
Neste livro o autor pareceu desenvolver um pouco mais a personalidade dos personagens. Acho, porém, que foi um pouco tardio. Adams deveria ter determinado as características pessoais logo no primeiro volume, não lá no último, quando apenas os mistérios deveriam ser solucionados.

"Ford tinha o seu próprio código de ética. Não era lá grande coisa, mas era dele e ele o respeitava, ou quase isso. Uma das regras que criara era jamais pagar pelos seus drinques." pág 54

Mesmo com o desleixo do autor com isto, seus personagens encantam o leitor, talvez exatamente por serem tão idiotas e estúpidos.

Enredo
A suposta finalização da série, Praticamente Inofensiva (Editora Arqueiro, 190 páginas) não resolve praticamente nada. Achei o final surpreendente e ele me agradou, porém muitas pontas ficaram soltas. Ainda estou na dúvida se alguns acontecimentos tinham a resposta subentendida como me pareceu a princípio, ou se eram apenas uma terrível coincidência -- afinal, Adams´além de imprevisível é um adepto das grande coincidências.
No geral, é uma boa trama, com surpresas e eventos inesperados, além de um ritmo de leitura rápido e dinâmico.

Estrutura Artística
Capa: sou encantada com essas ilustrações referentes à estória, mas continu com a impressão de que pode atrair o público errado pelo ar infantil.
Título da Obra: gostei do título, com as duas palavras que descrevem o nosso planeta no Guia do Mochileiro das Galáxias.
Sinopse: creio que falaram mais do autor do que da obra, mas continua sendo bem elaborada para captar a atenção do leitor.
Diagramação: o livro é dividido em 25 capítulos, sem erro algum.

Estrutura Física
Capa: qualidade inferior por se tratar de uma versão econômica.
Páginas: amareladas, ou seja, refletem menos a luz.

Análise
Espaço: 5
Habilidade do autor: 5
Diversidade de ambientes: 5
Tempo: -
Concordância com a época: -
Passagem do tempo: -
Personagens: 4,3
Interação: 5
Personalidades: 4
Aparência e carisma: 4
Enredo: 5
Originalidade: 5
Narrativa: 5
Intensidade da trama: 5
Estrutura Artística: 4,5
Capa: 3
Título da Obra: 5
Sinopse: 5
Diagramação: 5
- Erros: 5
- Fontes/Ilustrações: 5
Estrutura Física: 3,5
Capa: 2
Páginas: 5
Minha Opinião: 4
Nota Final:4,4