04/01/2013

[Resenha] A Luz Através da Janela


Emilie de la Martinières nasceu em uma rica e aristocrática família francesa, porém, depois da morte de sua glamourosa e distante mãe, ela se encontra sozinha no mundo e como única herdeira da grande residência em que passou sua infância, no sul da França. Um antigo caderno de poemas conduz Emilie à busca pela misteriosa e bela Sophia, cujo trágico cado de amor alterou o destino de sua família.
Em Londres. 1943, a jovem arquivista Constance Carruthers é recrutada pela SOE, chegando em Paris durante o auge da Segunda Guerra Mundial, quando a cidade estava ocupada pelo inimigo. Em suas primeiras horas na França, ela conhece uma rica família, envolvida em um jogo mortal de mentiras e segredos. Forçada a entregar sua identidade, todos os laços com sua terra natal e seu amado marido, Constance se vê em meio a uma complexa rede com consequências que afetarão as gerações seguintes.
O novo romance de Lucinda Riley, autora do best-seller internacional A Casa das Orquídeas, é uma história intensa sobre o amor, a guerra e, acima de tudo, o perdão.




Introdução
Após a morte da mãe, Emilie se vê as voltas com o dever de carregar o poderoso nome dos de la Martinières, do qual é a única herdeira, e a busca pelo conhecimento do próprio passado. Confusa por ter que cuidar de todos os bens da família, ela conhece Sebastian, um homem bonito, gentil e prestativo que a ajuda com tudo, e acaba se apaixonando por ele.
Coincidentemente (ou não), a avó de de Sebastian era uma antiga conhecida de seu pai. Ela não imagina, porém, que o passado enterrado de sua rica família não irá apenas mudar drasticamente quem ela é, mas também todo o seu futuro.

Espaço
Lucinda Riley nos leva da Inglaterra à França, e da França de volta à Inglaterra. A maior parte da estória ocorre em Gassin, onde o château dos de la Martinières é localizado, Paris, para onde Constance é enviada para agir como agente infiltrada, e a mansão de Yorkshire, na Inglaterra, que Sebastian e seu irmão herdaram da avó.
Lucinda não se preocupa em descrever cada ambiente, se demorando apenas naqueles onde cenas importantes terão lugar. Nestes, os detalhes são ricamente explorados sem que fique exagerado ou cansativo.

Tempo
Emilie vive no ano de 1998, enquanto a estória de Constance começa a ser narrada no ano de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial.
A estória de ambas ocorre em um período de aproximadamente um ano e meio e a autora soube fazer com que sua narrativa concordasse com a época retratada, o que com certeza demandou muita pesquisa e cuidado de sua parte.
Senti falta, porém, de uma exposição maior da vestimenta dos personagens, especialmente no passado, que fariam com que o leitor interagisse melhor com essa mudança de épocas.

Personagens
Emilie de la Martinières é a única sobrevivente de uma tradicional família francesa. Diferente de sua mãe, ela não é uma pessoa que goste de socializar e nem tem o talento para isso. Com sua aparência peculiar e jeito meio desastrado, ela deseja conhecer o passado e desvendar os acontecimentos trágicos que mudaram o seu destino.

"Emilie sabia, dolorosamente, que não tinha qualquer traço do glamour de seus predecessores. Nascida em uma família extraordinária, tudo que ela queria era parecer uma pessoa normal." pág 33

Constance trabalhava como arquivista na Inglaterra quando foi recrutada pela SOE para lutar ativamente por uma França livro do domínio nazista. Porém, imprevistos a levam à cada dos de la Martinières, onde é obrigada a entrar em um jogo mortal no qual o mínimo deslize pode ter consequências desastrosas.

"Sentindo um calafrio repentino, ela cruzou os braços ao redor de si [...] Estaria com medo? Ela não sabia." pág 113

Os personagens de Riley são carismáticos (à exceção daqueles que propositalmente despertam repulsa ou desconfiança no leitor) e desenvolvidos com eficácia pela autora, que trabalha tanto suas personalidades quanto a aparência dos mesmos. Neste último aspecto ela pecou apenas em Constance, que não obteve uma descrição física satisfatória.

Enredo
A Luz Através da Janela (Editora Novo Conceito, 544 páginas) começa morno e até um pouco desanimador. Uma mulher que não sabe administrar a fortuna da família... Vamos combinar que não é um tema que consiga prender o leitor por muito tempo. Porém, a partir do momento em que a caderneta de poemas de Sophia é descoberta -- o que acontece pouco depois da página 100 -- a trama muda de direção de um modo impressionante tornando quase impossível a tarefa de parar a leitura, mesmo que por alguns minutos.
O enredo foi tão bem-elaborado que há momento em que o leitor imagina saber o que vem a seguir sendo completamente surpreendido páginas depois quando uma reviravolta totalmente inesperada surge e muda tudo.
A narrativa é feita em 3ª pessoa tanto no "presente", com a Emilie, quanto no "passado", com Constance. Não há problemas com a identificação da época, uma vez que Riley especifica quando a mudança ocorre.

Estrutura Artística

  • Capa: A fotografia é de meu agrado e também a fonte utilizada. O que não caiu bem foram as sombras arroxeadas que usaram para o subtítulo. Creio que o resultado seria melhor se utilizassem a fonte completamente branca, sem sombras, como na capa original.
  • Título da Obra: Não gosto nem desgosto apesar de ser impactante.
  • Sinopse: Um excelente trabalho que atrai o leitor.
  • Diagramação: São 35 capítulos além do epílogo, com apenas dois erros. Os capítulos se iniciam sempre na página direita e, embora muito espaço seja desperdiçado, a obra aparenta ser mais organizada.


Estrutura Física

  • Capa: material comum, resistência média, filipetas com informações da autora e um trecho do livro.
  • Páginas: amareladas, ou seja, refletem menos a luz.


Recomendações
Embora as duas personagens principais da obra sejam do sexo feminino, não apenas as mulheres apreciarão a trama que Lucinda criou. Recomendo a leitura para maiores de 16 anos.

"A guerra nos transforma em tolos, de várias maneiras." pág 357 

Análise

Espaço: 4,5
Habilidade do autor: 5
Diversidade de ambientes: 4
Tempo: 5
Concordância com a época: 5
Passagem do tempo: 5
Personagens: 4,3
Interação: 4
Personalidades: 5
Aparência e carisma: 4
Enredo: 4,6
Originalidade: 5
Narrativa: 5
Intensidade da trama: 4
Estrutura Artística: 4,75
Capa: 4
Título da Obra: 5
Sinopse:5
Diagramação: 5
- Erros: 5
- Fontes/Ilustrações: 5
Estrutura Física: 4,5
Capa: 4
Páginas: 5
Minha Opinião: 4,5
Nota Final:4,6