13/07/2013

[Resenha] Na Companhia das Estrelas


Em um mundo devastado pela doença, Hig conseguiu escapar à gripe que matou todo mundo que ele conhecia. Sua esposa e seus amigos estão mortos, e ele sobrevive no hangar de um pequeno aeroporto abandonado com seu cachorro, Jasper, e um único vizinho, que odeia a humanidade, ou o que restou dela.
Mas Hig não perde as esperanças. Enquanto sobrevoa a cidade em um avião dos anos 1950, ele sonha com a vida que poderia ter vivido não fosse pela fatalidade que dizimou todos que amava. Hig é um guerreiro sonhador. E tem uma imensa vontade de gente, apesar da desilusão que se abateu sobre ele. Por isso é capaz de arriscar todo seu futuro quando, um dia, o rádio de seu avião capta uma mensagem...
Voe com Hig e Jasper e se encante ao descobrir que um mundo melhor pode estar em cada um de nós.


Enredo

O livro narra a estória de Hig e seu cachorro Jasper após uma epidemia que devastou a maior parte da população mundial e deixou muitos infectados com a doença. Eles sobrevivem em um aeroporto abandonado junto com seu vizinho Bangley, tendo que aprender como viver sem energia elétrica e a proteger seu território de saqueadores.

"Agora não sinto nada. Sinto da mesma maneira que minhas pernas sem botas se sentem depois de dez minutos na neve derretida. Anestesiadas e felizes. Felizes por estarem anestesiadas." página 205
Para se manterem seguros eles contam com as rondas de Hig pelo "perímetro" em seu avião, para assustar possíveis invasores e localizar os mais corajosos que desejam atacar. Em uma dessas viagens, ele capta a mensagem de um aeroporto vizinho. A primeira mensagem em anos, desde que o mundo foi devastado pelo gripe.
Esta mensagem faz com que Hig sinta a necessidade de buscar os outros sobreviventes e parta em uma jornada perigosa e sem garantia de volta para o desconhecido, arriscando não apenas a sua vida, mas também a da única família que ele tem: Bangley.
A narrativa de Peter Heller é um pouco confusa e é difícil para o leitor se acostumar. Não temos demarcações para os diálogos, como aspas ou travessão, e muitas vezes o autor nem indica qual personagem está falando o que faz a leitura um pouco incoesa às vezes. Na Companhia das Estrelas (Editora Novo Conceito, 406 páginas) é um livro muito reflexivo e dramático, com poucas cenas de ação ao contrário do que pensei a princípio. Algumas vezes a narrativa para de fazer sentido pois a mente do personagem vaga demais, e o ritmo da leitura consequentemente cai, entretanto isso não faz com que a obra seja ruim.

Espaço
As descrições são rápidas, porém bem detalhadas. Me frusta um pouco o fato de haver muitas espécies de árvores e eu não conhecer as diferenças entre elas... Isso me impede de imaginar o cenário com perfeição  acaba tirando um pouco o encanto da leitura. A vontade que tenho é de pesquisar no Google todas as árvores, mas como parar de ler para fazer isso?

Tempo
Me agradou muito o fato que o autor deu um jeito de marcar o tempo que se passa, mesmo contra todas as possibilidades de alguém continuar se importando com a data. Por meio do calendário de Hig podemos ter uma noção dos meses, embora Peter tenha tornado a estória atemporal ao não mencionar o ano.

Personagens
Hig é um tanto quanto melancólico, mas não sem motivo: perdeu sua esposa grávida de sete meses para a gripe. Depois disso, se tornou pensativo e introspectivo. Mesmo assim, é um personagem que conquista o leitor pela bondade e altruísmo de seus atos.

"É possível amar de maneira tão desesperada que a vida se torna insuportável? [...] Estar vivenciando o amor e sentir-se desesperado. Por saber que acabará, pois tudo acaba. Um dia." página 94
O único contato que Hig tem por muito tempo é seu vizinho Bangley, um amante das armas, insensível, que não tem medo de tirar a vida de alguém. Mas isso está prestes a mudar...

Estrutura Artística
Capa: lindo projeto gráfico, com Hig e Jasper.
Título da Obra: se deve à rotina de Hig de observar as constelações e dar nomes para aquelas cujo nome não se lembrava.
Sinopse: ótimo trabalho da editora.
Diagramação: foram encontrados três erros. A tradução de algumas expressões fez com que ficassem estranhas e incompreensíveis.

Estrutura Física
Capa: material comum, resistência média
Páginas: amareladas, ou seja, refletem menos a luz.

Recomendações
É um livro que vai agradar mais ao público adulto.

Análise
Enredo: 2,6
Originalidade: 2
Narrativa: 3
Intensidade da trama: 3
Espaço: 4
Habilidade do autor: 4
Diversidade de ambientes: 4
Tempo: 4,5
Concordância com a época: 5
Passagem do tempo: 4
Personagens: 4
Interação: 3
Personalidades: 4
Aparência e carisma: 5
Estrutura Artística: 4,8
Capa: 5
Título da Obra: 5
Sinopse: 5
Diagramação: 4,5
- Erros:4
- Fontes/Ilustrações: 5
Estrutura Física: 4,5
Capa: 4
Páginas: 5
Minha Opinião: 3,5
Nota Final: 4