04/09/2013

[Resenha] O Livro da Loucura e das Curas


Gabriella Mondini é uma médica com estranhos poderes de cura, poderes que vão além de seus conhecimentos científicos. No fim do século 16, uma mulher médica — e tão sensível quanto ela — é praticamente uma heresia. Assim, se quiser continuar praticando a medicina, deverá ter o aconselhamento de um homem.
Seu pai, também médico, seria o conselheiro ideal, mas ele a abandonou há dez anos: saiu em busca de curas inimagináveis por uma Europa cheia de crendices e magias. E, agora, por meio de suas poucas cartas, é possível perceber que sua sanidade mental está desaparecendo.
Disposta a reencontrar o pai e, quem sabe, salvá-lo a tempo de continuar praticando a medicina, ela atravessa os Alpes da Suíça e os campos da Alemanha, encontra-se com os maiores médicos da Europa e caminha por cidades e vilarejos estranhos até chegar ao Marrocos.
A jovem médica enfrentará caminhos que lhe ensinarão o que é viver no mundo dos clínicos e herboristas daquela época; um mundo onde as praças públicas exalam cheiro de corpos queimados, onde ervas exóticas destroem todos os desejos e onde doenças como a Inveja (“um verme invisível”) saem do corpo dos mortos para destruir os vivos...
Até o fim de sua aventura, ela tentará conquistar a sabedoria tão desejada, mas também terá que lidar com o conhecimento dos segredos de sua família, que são, afinal, os seus próprios segredos.


Enredo

Gabriella é uma médica de Veneza com grandes habilidades, ms cujo talento para Medicina é limitado pela Guilda de Médicos, formada majoritariamente por homens preconceituosos que recusam a atuação de uma mulher se supervisão masculina.
Enquanto o Dr Mondini estava por pero, Gabriella trabalhava suas curas e o ajudava com as anotações para o Livro das Doenças, uma enciclopédia que reunia as mais diferentes enfermidades e suas características.
Porém, há dez anos o Dr Mondini partiu em uma viagem sem destino determinado, em busca de novas informações para sua obra, e o único contato que manteve foi por meio de cartas que vinham cada vez mais raramente, vagas e insanas. Ao ser afastada pela Guilda, Gabriella decide partir em busca do pai, uma medida desesperada para recuperar sua antiga vida e para negar o segredo que sempre esteve diante de seus olhos.
O enredo é bom, porém a autora não soube como desenvolver a estória de um modo que prendesse o leitor. Existem muitos períodos de leitura entediante que se arrasta e poucos momentos realmente interessantes.

Espaço

A estória se inicia em Veneza, mas passa por várias cidades da Europa. Os cenários são muito bem descritos e detalhados.

Tempo

A passagem do tempo é bem demarcada, a autora menciona constantemente o tempo que se decorreu e o ano em que se encontram.

Personagens

São bem formulados e conseguem conquistar os leitores. Gabriella, com sua determinação tola, Olmina com sua lealdade até nos momentos mais difíceis e Lorenzo, com seu amor paternal.

Estrutura Artística

Capa: simples e bonita.
Título da Obra: sugestivo e interessante.
Sinopse: ótimo trabalho da editora.
Diagramação: foram encontrados dois erros. 

Estrutura Física

Capa: material comum, resistência média
Páginas: amareladas, ou seja, refletem menos a luz.

Recomendações

Leitura para quem gosta de leituras líricas, com um bom bocado de reflexões poéticas.

Análise

Enredo: 2,3
Originalidade: 4
Narrativa: 2
Intensidade da trama: 1
Espaço: 5
Habilidade do autor: 5
Diversidade de ambientes: 5
Tempo: 5
Concordância com a época: 5
Passagem do tempo: 5
Personagens: 3,6
Interação: 3
Personalidades: 4
Aparência e carisma: 4
Estrutura Artística: 4,8
Capa: 5
Título da Obra: 5
Sinopse: 5
Diagramação: 4,5
- Erros:4
- Fontes/Ilustrações: 5
Estrutura Física: 4,5
Capa: 4
Páginas: 5
Minha Opinião: 1
Nota Final: 3,6