07/10/2013

[Resenha] Sangue de Lobo


Em 'Sangue de Lobo', um antigo original de um livro que conta uma história de mistério e morte jaz esquecido num pequeno museu em um restaurante no sul de Minas Gerais. Duas jovens, Ana Cristina e Cristiana, em viagem com a família de Ana, encontram-no e leem a história. Elas ficam assustadas, pois o enredo do livro retrata exatamente o jogo de RPG que elas criaram com amigos em São Paulo. E o mais curioso - a história se passa na cidade onde vão passar as férias. Foi lá que ocorreram crimes em série no início do século XX. E, no mesmo local, 100 anos depois, volta a acontecer uma sequência sinistra de mortes - oito macabras bonecas de porcelana parecem corresponder às vítimas de um insano assassino serial. As histórias do presente e do passado se misturam a partir do lobisomem Hector, um jovem inglês do passado que luta contra a maldição da Lua Cheia.

Introdução

Não passava de um inocente jogo de RPG, com uma macabra estória em que uma mulher é encontrada escalpelada e com o rosto coberto por um véu. Era apenas uma brincadeira entre amigos... Pelo menos foi isso que Cristiana e Ana Cristina pensaram.
Tudo começa a se tornar assustador quando elas viajam para o interior de Minas Gerais, para passar as férias em uma cidadezinha chamada Passa Quatro. Lá, elas encontram um manuscrito contando a mesma estória que vivenciaram anteriormente no jogo e, com a chegada de um antigo morador, estranhos acontecimentos começam a rondar o local.
Este livro é uma parceria entre Helena Gomes, autora a qual eu muito admiro, e Rosana Rios. A narrativa flui intensamente, e não temos um momento sequer de tédio durante a leitura, que intercala momentos do presente e do passado.

Espaço

Tem como cenário a cidade de Passa Quatro, no interior de Minas Gerais. A cidade é muito bem descrita, o que faz com que o leitor sinta que já visitou o local.


Tempo

Durante a primeira parte da estória se trancorre um período de aproximadamente duas semanas. Passam-se alguns meses antes que as garotas voltem para mais aventuras, e este segundo período é de apenas alguns dias.

Personagens

Ana Cristina é filha de um famoso e rico advogado. É uma garota mimada acostumada a ter tudo o que sempre quis. Sua melhor amiga. Cristiana, por outro lado, é filha da empregada da família de Ana Cristina. É uma garota humilde, mas sente vergonha de sua origem nordestina, por sentir que nunca ninguém se intereserá por uma simples filha de governanta.
Daniel é aquele tipo de personagem impossível de não se gostar. Com seus modos encantadores de gentleman, ele conquista todos os leitores.
Os personagens são bem elaborados e tem personalidades distintas. Inicialmente, me confundi um pouco com o nome das protagonistas, mas consegui me situar com o tempo. Outra coisa que me incomodou foi o fato de não conseguir imaginar as duas fisicamente, pela falta de descrição no começo do livro.

Estrutura Artística

Capa: não é das mais atraentes, não foi um trabalho digno da estória que revela.
Título da Obra: é um título forte, e que chama a atenção.
Sinopse: a sinopse disponibilizada no post foi encontrada no Skoob. Nas costas havia apenas um trecho do livro.
Diagramação: não foi encontrado nenhum erro.

Estrutura Física

Capa: material comum, resistência média
Páginas: amareladas, ou seja, refletem menos a luz.

Recomendações

É um enredo forte, entremeado de suspense, mistério e romance. Uma ótima leitura.

Análise

Enredo: 5
Originalidade: 5
Narrativa: 5
Intensidade da trama: 5
Espaço: 5
Habilidade do autor: 5
Diversidade de ambientes: 5
Tempo:5
Concordância com a época: 5
Passagem do tempo: 5
Personagens:4,3
Interação: 5
Personalidades: 5
Aparência e carisma:3
Estrutura Artística: 3,5
Capa:1
Título da Obra: 5
Sinopse: 3
Diagramação: 5
- Erros:5
- Fontes/Ilustrações: 5
Estrutura Física: 4,5
Capa: 4
Páginas: 5
Minha Opinião: 5
Nota Final: 4,6