11/02/2015

[Resenha] Atrás do Espelho

Título Original: Unhinged
Série: Splintered #2
Autor: A.G.Howard
Editora: Novo Conceito
Páginas: 396
Compare preços aqui.

Esta resenha pode conter spoilers. Antes de prosseguir, leia O Lado Mais Sombrio.
Proteja-se. A Rainha Vermelha está de volta. Alyssa pensou que tivesse se livrado para sempre do enigmático (e quase irresistível) Morfeu e das delirantes gincanas do País das Maravilhas. Agora, só que terminar o ensino médio e se mudar para Londres. Mas os seus dias de tranquilidade estão por um fio... Seus piores pesadelos invadiram o mundo real e não vão desistir de levá-la para longe.
Não resista... Entregue-se à eletrizante continuação de O Lado Mais Sombrio.

Depois de todas as suas aventuras no País das Maravilhas, Alyssa Gardner achou que finalmente poderia viver como uma pessoa normal: sua mãe voltou para casa depois de ser declarado que ocorreu uma cura "milagrosa" de seu estado mental, Morfeu não lhe aterrorizava há meses e o seu relacionamento com Jeb estava as mil maravilhas - bem, quase isso. Seus planos eram simples. Terminar o ensino médio e ir morar com Jeb em Londres, onde os dois poderiam ser reconhecidos por seu trabalho artístico.
"Mas ela nunca seria capaz de aceitar a minha ligação emocional com aquele lugar. Aceitar que, mesmo agora, eu às vezes sinto saudade daquele caótico mundo intraterreno." página 60
No entanto, as coisas mudam quando ela passa a ter pesadelos com o País das Maravilhas se deteriorando sob a crueldade da Rainha Vermelha, que conseguiu sobreviver ao confronto anterior com Alyssa. Morfeu volta a atormentá-la todas as noites, tentando fazer com que ela volte para o lugar a que pertence e salve seu verdadeiro lar das mãos da tirana. Mas como ela poderia fazer isso e abandonar sua recém-conquistada família e Jeb? Como explicaria para o seu namorado, que havia perdido todas as memórias de seu tempo no País das Maravilhas, a necessidade de entrar na toca do coelho?
"O meu próprio coração se contrai. O País das Maravilhas era tão lindo e animado, embora também estranho e assustador. Ainda assim, ver esta terra desmoronar não deveria me afetar de modo tão intenso. Eu testemunhei essa decadência gradual em meus sonhos nas últimas semanas. [...] É a minha terra." página 35
Devo ser sincera e admitir que fiquei muito decepcionada quando comecei a leitura. Foi um prazer reencontrar os personagens e a narrativa de A. G. Howard continuava simples e cativante, mas Alyssa me irritou ao extremo. A primeira metade do livro é, basicamente, sobre sua indecisão e suas dúvidas de como contar tudo para Jeb. O que me incomodou em algumas cenas do livro anterior voltou com força total por 200 páginas, um triângulo amoroso meloso e desnecessário. Senti falta da maneira como a autora foi direto ao ponto em O Lado Mais Sombrio. O que salvou foram pequenos trechos mais assombrosos e as aparições de Morfeu, que está ainda mais sarcástico, manipulador e irresistível. 
Por outro lado, da metade para o fim a trama deu uma guinada surpreendente e a ação não parou até as últimas páginas. A autora compensou toda a enrolação do começo com revelações inimagináveis e vislumbres ainda mais terríveis e obscuros do que o País das Maravilhas tem a oferecer. Foi aí que ela me prendeu e fez com que eu não parasse até a última página. Eu preciso do terceiro volume urgentemente.
Para aqueles que leram e amaram O Lado Mais Sombrio, eu recomendo caso queiram saber o que vai ser dos personagens. Como o plano inicial da autora não era uma trilogia, o primeiro livro tem tudo o que deveria ter: um começo, um meio e um fim; logo a leitura de suas continuações não são necessárias, apenas um agrado a mais para os fãs.
Quer opinião de outros leitores? Confira a resenha da Núbia, do "Blablabla Aleatório", e da Tay, do "Fome de Livros"