19/02/2015

[Resenha] O Código do Apocalipse

Título Original: The demon code
Série: Leo Tillman & Heather #2
Autor: Adam Blake
Editora: Novo Conceito
Páginas: 463
Compare preços aqui.

Esta resenha pode conter spoilers. Antes de prosseguir, leia Manuscritos do Mar Morto.
Alguém invadiu o Museu Britânico para ter acesso a um livro antigo - a obra de um profeta lunático que previu o Apocalipse. Nenhuma de suas visões catastróficas se tornou realidade. Pelo menos até agora.
Um após o outro, estranhos eventos acontecem. Seriam eles milagres ou apenas o efeito das ações nefastas do próprio ser humano? Quando uma ex-policial e um mercenário correm contra o tempo para buscar a verdade, conhecem Diema, uma jovem capaz de decifrar o enigma das profecias.

Depois de todas as suas aventuras e várias experiências de quase-morte, Heather só queria um pouco de paz e tranquilidade - ou, pelo menos, o possível disso no cargo de detetive particular, que conquistou após perder seu posto de sargento. No entanto, existem dias que estão predestinados a serem um desastre: é o que ela descobre quando, depois de socar seu atual patrão, ela se vê no olho da rua sem um meio de se sustentar e sem alternativas além de voltar para casa e encarar outra rodada de dramas amorosos com sua namorada infiel, Izzy.
Ao receber uma ligação do renomado professor Gassan, que também estivera indiretamente conectado a todos os eventos estranhos envolvendo a até então desconhecida Tribo de Judas, ela vê uma oportunidade de ocupar sua mente com coisas mais produtivas do que se afogar nas memórias de seu pai falecido e na amargura da traição: um caso tão sem saída quanto seu último como sargento detetive e que a levará por caminhos ainda mais sombrios.
Uma aparente tentativa de roubo mal-sucedida acabará por reunir Heather e o ex-mercenário Leo Tillman, a dupla de investigadores informais que sabem muito mais do que deveriam sobre segredos tão perigosos que já causaram a morte de milhares de pessoas.

"Nenhum dos espectadores desconhecia a morte, todavia este tipo de morte, com a vítima indefesa e tomada de pânico porque é capaz de perceber o que está acontecendo, não é algo agradável de observar.
Mas ainda assim eles observaram. Pois sabiam o porquê desse holocausto e o que dependia dele."


O Código do Apocalipse se desenrola um ano após os acontecimentos de Manuscritos do Mar Morto. Além dos protagonistas que já conhecemos, somos apresentados a personagens que terão papel essencial na trama e dão um gostinho a mais na narrativa. Diema, um aliado improvável e peça fundamental para todo o suspense do enredo, é uma garota imprevisível e arrogante que terá todos os seus conceitos radicalmente alterados pela convivência com pessoas que foi ensinada a odiar. Ben Rush, por outro lado, caiu de paraquedas nessa confusão, mas seu humor quebra a tensão em muitas passagens.
O livro é dividido em seis partes e os capítulos, mesmo sendo extensos, passam rapidamente. Uma vez que você se envolve, é difícil largar o livro. A narrativa de Adam Blake ainda me surpreende por sua fluidez e simplicidade, sem se abster de detalhamento de cenários e personagens. O leitor é guiado de forma exemplar pela trama, é colocado para raciocinar sobre cada evidência encontrada, a criar hipóteses, o que torna a leitura mais interativa.
Quando a escória faz algo que desagrada a Tribo de Judas, muitas pessoas morrem. Mas quando os próprios "escolhidos" se desentendem, acontece o apocalipse. Acompanhe essa corrida contra o tempo e desvende mistérios, com ação extra e muito, muito suspense!

Quer opinião de outros leitores? Confira a resenha da Anna Gabriela, "Arca Literária",  e da Sheila, do "Dear Book"