21/07/2015

[Imaginação em Tela] Divertida Mente

Lançamento: 18 de junho de 2015
Duração: 1h34min
Direção: Pete Docter
Gênero: Animação, Comédia, Família
Nacionalidade: EUA
Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle - e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.


Riley é uma garotinha de onze anos muito extrovertida e amorosa que, de repente, se vê envolvida em uma grande mudança de Minnesota para São Francisco, deixando para trás tudo aquilo que ela amava: seu time de hóquei e sua melhor amiga de infância. Seus sentimentos ficam um pouco mais agitados que o normal em sua cabeça, principalmente Tristeza que impulsivamente começa a tocar todas as boas memórias que Riley tem de Minnesota. Alegria tenta desesperadamente impedir que Tristeza arruine tudo, e no meio dessa bagunça elas acabam sendo jogadas para um lugar desconhecido da mente de Riley, deixando a sala de controle sob o comando nada confiável de Medo, Nojinho e Raiva.

Divertida Mente é um filme que trata muito de psicologia e, para uma estudante dessa ciência como eu, é extremamente atrativo. Por meio da famosa falácia do homúnculo - na qual nossa mente é formada por pequenas pessoinhas que tudo controlam - o filme explica conceitos como memórias, sentimentos e a formação de personalidade: tudo de uma maneira leve e infantilizada que diverte as crianças e os adultos também!
A obra traz uma mensagem muito importante que é a de que não se pode ser feliz o tempo inteiro: a tristeza, assim como os outros sentimentos, também tem um papel fundamental na formação do caráter de um indivíduo.