02/05/2016

[Resenha] O Cavaleiro dos Sete Reinos

Título Original: Knight of Seven Kingdoms
Autor: George R. R. Martin
Série: Histórias do Mundo de Gelo e Fogo #1
Editora: Leya
Lançamento: 2014
Páginas: 413

Duzentos anos após a Conquista, a dinastia Targaryen vive seu auge. Os Sete Reinos de Westeros atravessam um tempo de relativa paz, nos últimos anos do reinado do Bom Rei Daeron.
É neste cenário que Dunk, um menino pobre da Baixada das Pulgas , tem uma chance única: deixar a vida miserável em Porto Real para se tornar escudeiro de um cavaleiro andante. Quando adulto, o cavaleiro morre e Dunk decide tomar seu lugar e fazer fama no torneio de Campina de Vaufreixo.
É quando conhece Egg, um menino de dez anos, cabeça totalmente raspada, que é muito mais do que aparenta ser. Dunk aceita Egg como seu escudeiro e, juntos, viajam por Westeros em busca de trabalho e aventuras. Uma grande amizade nasce entre eles – uma amizade pela vida toda, mesmo quando, anos mais tarde, os dois personagens assumem papéis centrais na estrutura de poder dos Sete Reinos.

Dunk é um cavaleiro andante, armado e treinado por outro cavaleiro andante. Egg, inicialmente, se mostra como um cavalariço petulante e de língua afiada, além de aspirante a escudeiro. Juntos eles vão enfrentar desafios para os quais, a maioria das vezes, não vão estar preparados. Apesar da estranha relação mestre-aprendiz, na qual muitas vezes é Egg quem ensinará Dunk, nasce entre os dois um forte sentimento de amor fraternal, por mais que a diferença entre ambos seja gritante. Ao longo de suas aventuras descobriremos os segredos de Egg, o passado de Dunk e novas histórias sobre este incrível mundo que é Westeros. 
"- Feche a boca, não quero saber da sua insolência. Tire a cota de malha também. O que achou que estava fazendo?
- Como posso falar com a boca fechada?"
 
O livro em si é composto por três contos, O Cavaleiro Andante, A Espada Juramentada e O Cavaleiro Misterioso. Neles o autor narra fatos ocorridos aproximadamente 90 anos antes do início da série As Crônicas de Gelo e Fogo. Apesar de não ser tão denso ou épico como seus predecessores (sucessores?), o livro nos apresenta novos (velhos?) acontecimentos, alguns diretamente ligados à trama principal.
Por ser uma história antes da história, ouso dizer que para aqueles que nunca leram deveriam começar por ele. Não apenas como uma forma de se preparar para o que está por vir, mas também para facilitar o entendimento dessa complexa trama que nós é oferecida por George R. R. Martin. Enfim, termino essa resenha torcendo para não morrer (entendedores entenderão) e dizendo que qualquer tempo gasto com esta obra é um tempo bem gasto.
Valar Morghulis.