10/06/2016

[Resenha] Hellraiser


Escrito em 1986, Hellraiser – Renascido do Inferno apresentou ao público os demoníacos Cenobitas, personagens criados por Clive Barker que hoje figuram no seleto grupo de vilões ícones da cultura pop como Jason, Leatherface ou Darth Vader. Toda a perversidade desses torturadores eternos está presente em detalhes que estimulam a imaginação dos leitores e superam, de longe, o horror do cinema.
Primeiramente, sinto-me obrigado a dizer: este é um livro para aqueles que possuem estômago forte, ou melhor, para quem não possui qualquer estômago.
A caixa de Lemarchand é um mistério. Para alguns ela representa prazeres inimagináveis, enquanto para outros horrores inenarráveis. Frank é um dos primeiros, buscando o gozo que não mais consegue em sua fútil vida. Assim que consegue colocar suas mãos na caixa, ele logo se propõe a decifrar seus segredos, independente do que possa acontecer e então... Cenobitas. Rory, irmão de Frank, decide ir morar na casa que herdou de seus pais junto com sua esposa Julia, e após a mudança descobrem que Frank viveu por lá durante um tempo. Depois de um acidente enquanto arrumava a porta da cozinha, Rory vai até o quarto que eles apelidaram de Quarto Úmido pedir ajuda a Julia, haja vista que não suporta ver sangue. Entretanto, além de fazer Rory desmaiar, o sangue também serviu para despertar algo que estava aprisionado no quarto.
"O choque de sensualidade e morte o consternou. Teria ele alguma dúvida de que ela havia, pessoalmente, despachado aquelas vítimas? A podridão delas estava sob as unhas da criatura, e as línguas - vinte ou mais- estavam dispostas em grupos sobre suas coxas untadas, como se aguardassem entrar."
Um livro pequeno e de fácil leitura mas também um livro que choca e nos faz pensar sobre a natureza do ser humano. Além da forma magistral que o terror psicológico foi trabalhado, Clive Barker também conseguiu desnudar fatos que muitas vezes são considerados tabus: o sadomasoquismo como forma de prazer; o casamento falido que se mantém apenas pelo comodismo e as suas consequências; o "amor" que nos leva a fazer tudo e até mesmo a sanidade posta em cheque pela loucura nos olhos de outrem
Enfim, um livro que antes de perceber você já terá acabado, caso consiga prosseguir, um livro que nos envolve de tal forma que sua leitura não acaba com seu final. Mesmo tendo sido escrito com a intenção de virar filme, ele não perde em nada, pelo contrário. Apresenta uma incrível fluidez, uma narrativa simples e atraente, capaz de deixar qualquer um perplexo diante de seus temas profundos e bem desenvolvidos.

Autor: Clive Barker
Editora: DarkSide Books
Lançamento: 2015
Páginas: 150
Avaliação:★★★★★❤