29/07/2016

[Resenha] Boneca de Ossos


POPPY, ZACH E ALICE sempre foram amigos. E desde que se conhecem por gente eles brincam de faz de conta – uma fantasia que se passa num mundo onde existem piratas e ladrões, sereias e guerreiros. Reinando soberana sobre todos esses personagens malucos está a Grande Rainha, uma boneca chinesa feita de ossos que mora em uma cristaleira. Ela costuma jogar uma terrível maldição sobre as pessoas que a contrariam.
Só que os três amigos já estão grandinhos, e agora o pai de Zach quer que ele largue o faz de conta e se interesse mais pelo basquete. Como o seu pai o deixa sem escolha, Zach abandona de vez a brincadeira, mas não conta o verdadeiro motivo para as meninas. Parece que a amizade deles acabou mesmo...
Mas, de repente, Poppy conta para os amigos que começou a ter sonhos com a Rainha – e também com o fantasma de uma menininha que não conseguirá descansar enquanto a boneca de ossos não for enterrada no seu túmulo vazio.
Então, Poppy, Zach e Alice partem para uma última aventura a fim de ajudar o fantasma da Rainha a encontrar seu descanso eterno. Mas nada acontece do jeito que eles planejaram... A missão se transforma em uma jornada de arrepiar.
Será que a boneca é apenas uma boneca ou existe algo mais sinistro por trás desses fatos? Poppy está mesmo dizendo a verdade ou tudo isso não passa de um truque para que voltem a brincar juntos?
Se existe mesmo um fantasma, o que vai ser das crianças agora que elas estão nas suas mãos?

Zach, Alice e Poppy se conhecem desde sempre. Moradores do mesmo bairro, a amizade entre eles surgiu rapidamente e dura até hoje: juntos, eles construíram todo um mundo de faz-de-conta que se torna real quase todos os dias depois da aula, quando passam a tarde inteira brincando com seus personagens.
Porém, eles já têm 12 anos e fica cada vez mais difícil continuar a brincadeira. Afinal, eles assumem mais responsabilidades e, no caso de Zach, fica cada vez mais constrangedor ser visto no meio da diversão - especialmente porque, de repente, as pessoas começaram a olhar para ele diferente na escola (deve ter algo a ver com ele ter crescido muito e sua voz estar um tanto quanto diferente).
"Quando Zach era pequeno, acreditava de verdade nas regras universais sobre monstros. Tinha certeza, por exemplo, de que, se deixasse todo o corpo sobre o colchão embaixo da coberta, se mantivesse os olhos fechados fingindo dormir, ele estaria seguro."
Até que um dia, a pior coisa do mundo acontece: Zach perde seus bonecos. Aliás, seu pai joga todos eles fora, com a justificativa de que talvez assim o garoto se dedicaria a "coisas importantes de verdade". Zach, no entanto, não quer contar para as meninas o que aconteceu - ele sente que isso iria liberar uma série de sentimentos com os quais ele não está pronto para lidar.
Poppy e Alice não entendem porque de repente o amigo não quer mais brincar. E, para tentar convencê-lo, fazem uma coisa da qual podem se arrepender: tirar a Grande Rainha de sua torre. A Grande Rainha é uma boneca chinesa muito velha que pertence à mãe de Poppy - que a guarda com todo cuidado dentro de uma cristaleira e ameaça de morte qualquer um que ouse chegar perto demais.
Elas só não contavam com o fato de que a boneca de ossos possuía uma história assustadora e que os assombraria até que eles fizessem o que ela desejava: voltar ao lugar a que pertence. Os três amigos partirão em mais uma jornada juntos - só que, dessa vez, é pra valer.
"- Não se parecia em nada com um sonho. Ela estava sentada na ponta da minha cama. Seu cabelo era loiro como o da boneca, mas estava embaraçado e sujo. Ela estava usando uma camisola suja de lama. A menina me disse que eu tinha de enterrá-la. Disse que não poderia descansar enquanto seus ossos não estivessem no seu próprio túmulo e que, se eu não a ajudasse, ela faria com que eu me arrependesse."
Esse livro está na minha estante há um bom tempo, só esperando uma oportunidade para me encantar. Como de costume, não sabia muito do que me esperava - e encontrei uma história que me prendeu completamente por um dia inteiro e ainda me deixou com gostinho de quero mais.
Não se deixe enganar pela idade dos personagens. Eles são crianças, sim, mas isso não torna o livro infantil. Cada um tem que lidar com seus próprios medos e desafios, coisas que agora podem parecer simples mas que, naquela idade, se agigantavam perante nós. O medo de crescer, de ser abandonado, o desejo pela liberdade... Tudo isso será trabalhado aos poucos, conforme eles deixam suas incertezas de lado em prol de um objetivo maior: ajudar a Rainha.
Holly Black nos apresenta um infanto-juvenil que vai agradar todas as idades. Seja pela leitura fluida, pelas ilustrações sombrias e pelo toque mais macabro do enredo, ou simplesmente pela aventura cheia de descoberta e amadurecimento. É uma leitura fácil, com arrepios e diversão garantidos.
"Ele se perguntava se crescer era descobrir que a maioria das histórias não passava de mentiras."
Autor: Holly Black
Editora: Novo Conceito
Lançamento: 2014
Páginas: 224
Avaliação:★★★★★❤