04/07/2016

[Resenha] Mentira Perfeita


Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for.
Júlia faria qualquer coisa - qualquer coisa mesmo! - por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre... E então o milagre acontece: Berenice se recupera - e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil?
É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente...
Mentira Perfeita é um spin-off de Procura-se um marido, uma história que se passa no mesmo universo da primeira. Aqui você vai conhecer novos personagens inesquecíveis, além de rever aqueles que já moram no seu coração.
Mentira Perfeita é um spin-off de Procura-se um Marido - ou seja, um livro que se passa no mesmo universo mas cujo enredo é independente do anterior. Li esse lançamento da Carina Rissi sem ter lido a história anterior e, embora a trama não tenha sido afetada, me arrependi um pouco de ter lido na "sequência errada" porque durante a narrativa existem muitas referências a acontecimentos de Procura-se um Marido - o que, definitivamente, vai prejudicar a experiência de leitura do mesmo. Mas bem, vida que segue.
"Algumas pessoas passam pela vida em um cor-de-rosa infinito, cheio de boas lembranças e histórias engraçadas que serão sucesso nas festas de fim de ano.
Eu não era uma dessas pessoas."
Nas primeiras páginas, somos apresentados à uma Júlia desesperada correndo para o hospital: tia Berenice havia sido internada novamente devido à complicações cardiovasculares. Já há algum tempo Berenice fora diagnosticada com insuficiência cardíaca e seu quadro só havia piorado desde então - sem um doador ela não teria muito mais tempo de vida. Mas sua maior preocupação era outra: que quando ela partisse, sua sobrinha Júlia ficasse completamente sozinha.
Júlia é muito dedicada àquilo que se propõe a fazer - tanto que esquece do mais importante, ela mesma. Desde que a tia adoeceu, ela não tem uma vida social. Seus dias se resumem em trabalho, casa e hospital, sempre cuidando para que a tia tivesse o maior conforto possível - e que não fugisse da dieta, tia Berenice é impossível!
"A questão é que as pessoas, uma hora ou outra, acabam te decepcionando. Era por isso que relacionamentos, de qualquer gênero, eram tão complicados para mim. Você conta com alguém, ama esse alguém de todo o coração, e ele vai embora sem aviso."
De volta ao hospital, Berenice parece estar nos seus últimos minutos de vida. Para aplacar a preocupação da tia, Júlia e seu melhor amigo Dênis contam uma pequena mentira inocente: ela tem um namorado perfeito que está prestes a pedí-la em casamento. O que Júlia não esperava era que o milagre pelo qual vinha implorando de fato aconteceria - sua tia melhorou sem explicação plausível e afirma que foi devido à felicidade pelas boas novas.
Para piorar a situação, a primeira coisa que tia Berenice fez ao receber alta do hospital foi, escondido da sobrinha, contratar o casamento de seus sonhos usando todas as economias de uma vida - com direito a estátua de gelo e pajens de aluguel. E agora? Como Júlia pode desmentir tudo aquilo sem afetar a frágil saúde da tia? Como pode recuperar as economias que podem vir a ser necessárias com futuras despesas médicas?
"Por que tia Berê não podia ser uma pessoa normal e me dar um presente comum? Um computador, um sapato novo, uma cacatua que fosse? Por que tinha que ser um casamento com pajens de aluguel?"
E é aí que entra Marcus, um cara despreocupado, cínico e absolutamente lindo. Ele enfrenta seus próprios problemas: preso em uma cadeira de rodas devido a um acidente, sua família o irrita embora tenha a melhor das intenções. Com sua preocupação excessiva, eles minam a liberdade de Marcus, fazendo com que ele se sinta limitado e inútil
Seu maior desejo é morar sozinho - tanto para conquistar seu espaço quanto para permitir que seus familiares vivam suas vidas sem precisarem se incomodar com ele. No entanto, seus pais impõem uma condição: ele tem que providenciar uma cuidadora que esteja à sua disposição em caso de necessidade.
"Eu estava farto. Estava cansado dos olhares preocupados de minha mãe, de meu pai levantar cada vez que eu respirava para perguntar se eu precisava de alguma ajuda, de atrapalhar o relacionamento do meu irmão. Estava de saco cheio de tudo isso." 
Ele, obviamente, não quer ser seguido por aí por uma babá - ele é bem capaz de cuidar de si mesmo, embora seus pais não acreditem nisso. Ao conhecer a situação de Júlia a solução mais doida e imprudente de todas passa pela sua cabeça: para tia Berenice ele seria o noivo perfeito, para seus pais Júlia faria as vezes de responsável cuidadora. Poderia funcionar, não é mesmo?
Acompanhar o relacionamento dessas duas figuras se estreitar é, com certeza, um dos aspectos mais interessantes da narrativa. As coisas não acontecem de forma brusca e repentina, Carina Rissi sutilmente apresenta os elementos que posteriormente serão chaves para o desabrochar de um romance - e de muita confusão, como já era de se esperar.
"Mas a verdade era que eu queria ver Júlia feliz, sorrindo. Pior: eu queria ser a causa do sorriso. Presumi que estar apaixonado fosse...
Não, não, não. Escolha errada de palavras. Apaga isso."
E a trama vai muito além do romance: temos também lições de vida importantes durante o livro, que vão desde o amor até o respeito às pessoas com deficiências físicas. Carina Rissi mostrou, de forma leve mas firme, as dificuldades que um cadeirante enfrenta numa sociedade que não leva em consideração seus direitos, e os efeitos psicológicos em que suas condições físicas podem acarretar.
Não tinha lido nada da autora até então e de cara já me apaixonei pelo estilo dela. Narrados em primeira pessoa, os capítulos se alternam entre a Júlia e o Marcus possibilitando que o leitor acompanhe o que cada um dos nossos queridinhos estão aprontando e como eles estão se sentindo de verdade em relação um ao outro. O enredo é uma montanha russa de emoções, praticamente te fazendo chorar e rir ao mesmo tempo em algumas cenas - a autora sabe como envolver o leitor emocionalmente, é impossível deixar o livro de lado até o final. Fechei o livro com o coração leve, um sorriso no rosto e aquela sensação gostosa de querer mais.
"Não é o jeito como seu corpo se move, como você vê, ouve ou sente o mundo que importa, mas a maneira que você vive. E esta é a parte difícil: aprender a viver."
Autor: Carina Rissi
Editora: Verus
Lançamento: 2016
Páginas: 460
Avaliação:★★★★★❤