31/08/2016

Blog Day: minha trajetória como blogueira

Além de ser o último dia do BEDA, hoje também é o Blog Day. Para despedir do desafio e comemorar a data, resolvi contar um pouco para vocês como eu comecei na blogosfera, de onde o Paraíso da Leitura surgiu e onde eu pretendo chegar com tudo isso aqui.

Como tudo começou

O blog foi criado em abril de 2010. Sim, pasmem, tem muito tempo! Mas minha proposta naquela época, com 13 anos, era completamente diferente do que vocês podem ver aqui atualmente. Não sei como eu conheci a blogosfera, mas eu decidi que queria fazer parte e ter o meu espaço. Lembro de pedir ajuda do meu pai com um nome, porque nunca fui muito criativa com esse tipo de coisa, e ele quem deu a ideia genial de Paraíso da Leitura.
Meu primeiro template foi um todo rosa, com milhares de flores. Achei ele esses dias na internet e fiquei me perguntando como eu gostava daquilo! Meu estilo mudou completamente, e o que antes eu achava maravilhoso, hoje acho de extremo mau gosto e exagerado. O conteúdo do blog também não era em nada parecido com o que é hoje: eu disponibilizava download de livros em pdf. Na época, eu não tinha mais de dez livros na minha coleção e não tinha dinheiro para comprar mais, então a maioria das minhas leituras era pelo computador - nem celular eu tinha na época.
Foi em pdf que li pela primeira vez Academia de Vampiros, A Hospedeira, Desventuras em Série, entre muitos outros que eu já comprei ou pretendo comprar (afinal, ler o livro físico é indescritivelmente melhor).

Como as coisas mudaram

Tudo o que o Paraíso da Leitura é hoje se deve a uma autora que tem um lugar muito especial no meu coração. A Bruna Longobucco me enviou Sem Destino para resenha no blog e eu não fazia nem ideia de como eu faria isso - mas adorei cada segundo. Foi ai que eu descobri que preferia dar minha opinião sobre os livros e incentivar o hábito da leitura do que simplesmente disponibilizar uma quantidade imensa de links - que eu provavelmente não leria - de forma mecânica para todo mundo. Não fazia muito sentido, sabe? Era chato.
Creio que essa reforma aconteceu bem no início de 2011: eu apaguei todo o conteúdo do blog e comecei do zero com resenhas e divulgações de lançamentos. Passei a fazer parceria com muitos autores, conheci pessoas incríveis e, inclusive, me correspondia frequentemente com uma escritora por quem tenho enorme carinho - mas cujo contato, infelizmente, foi perdido.

A descoberta

A partir dessa época, eu comecei a me orgulhar muito do blog. Inclusive, comprei um domínio próprio, decidi que levaria mais a sério. Creio que 2013 foi um ano muito determinante nesse sentido, porque foi quando eu consegui parceria com a Editora Novo Conceito e percebi que - poxa! - meu trabalho devia estar agradando alguém. 
Minhas postagens aumentaram de frequência e eu me esforçava bastante para melhorar. Eu lia incansavelmente e me desafiava a aumentar cada vez mais o número de livros que conseguia ler mensalmente. Creio que foi nesse ano que eu li mais de 150 livros - façanha que certamente não vou conseguir repetir tão cedo.

O abandono

Essa é uma parte da história do Paraíso da Leitura da qual eu não me orgulho. Em 2014 eu estava no terceiro ano e me preparando para o vestibular e, como eu contei nessa postagem aqui, minha rotina era uma loucura. Eu tentei continuar atualizando o blog, mas as postagens eram super espaçadas e aconteceu o óbvio: quem me acompanhava desistiu de mim. E nem posso culpá-los.
Quando eu não passei de primeira no Sisu, fiquei arrasada. E para me consolar, decidi voltar a postar, o que não durou muito, já que fui chamada na lista de espera. Com o começo da faculdade, deixei o blog de lado novamente - era um sistema de ensino novo para mim e eu tive um pouco de dificuldade de me adaptar, no sentido de que eu estudava muito mais do que o necessário e isso me levava à exaustão. Além disso, o ano de 2015 foi muito difícil para mim. Passei por uma crise depressiva grave e não tinha ânimo nem para levantar da cama - imagina ler. 

O recomeço

Depois de passar por tudo isso - que, embora não pareça muito, foi mais difícil do que parece - eu decidi voltar definitivamente. Afinal, já tenho o blog há tanto tempo que ele já faz parte de mim. Eu não consigo me imaginar sem ter esse cantinho e ver que as pessoas estão voltando a apreciar o que eu faço é a melhor sensação do mundo. É como uma recompensa por ter sido forte no ano passado, por ter aguentado firme e seguido em frente. 
O Pedro teve uma grande participação nisso: ele me incentivou a voltar e a não desistir quando as coisas não deram certo de primeira. O Paraíso está recebendo muitos "nãos", mas cada novo comentário é um grande "SIM" que me faz continuar me dedicando para criar postagens com qualidade e que vocês gostem. Sinto que postar aqui é quase uma terapia: faz com que eu me abra mais, mostre quem eu sou. 
Se você está lendo isso, saiba que também tem um papel importante na minha vida e na superação da minha fase difícil. Não sei o nome de todos vocês, mas eu poderia agradecer um a um - especialmente os mais presentes. Eu amo o que eu faço e espero que vocês gostem também.

Até a próxima!