24/08/2016

[Imaginação em Tela] Tara Maldita


Uma menina de oito anos é a crueldade em forma de criança, além de egoísta e mentirosa. Somente a mãe sabe a verdade sobre esse ser horrível. Rhoda (Patty McCormack), de face angelical, é capaz de arquitetar planos diabólicos para conseguir tudo que anseia, uma sociopata mirim.

Tara Maldita (The Bad Seed, no original em inglês), é um filme de 1956 baseado no livro Menina Má, de William March (resenha aqui), publicado em 1954 e que virou sucesso instantâneo.
O filme conta a história de Rhoda Penmark (Patty McCormack), uma criança de oito anos que é egoista, gananciosa e manipuladora. Todos acham Rhoda uma garotinha encantadora, nos moldes tradicionais - educada, elegante e asseada. Só a sua mãe, Christine Penmark desconfia que tem algo a mais por trás daqueles olhos frios e calculistas.
Eu estava tão curiosa para saber mais sobre o enredo do livro, que foi publicado esse ano pela DarkSide Books, que procurei o filme antes de realizar a leitura. Acabou tendo um lado positivo e negativo, tanto na minha experiência com o livro quanto com o filme.
O enredo, no filme, é desenvolvido de forma muito mais lenta do que no livro. Rhoda é muito bem construída, e Patty dá um amplo espectro de emoções para sua personagem. A atriz-mirim é intensa, e convence o público. Os personagens secundários, no entanto, são deixados de lado completamente e não têm suas peculiaridades aprofundadas - um aspecto no qual William March se empenhou em sua obra.
A trama também foi um tanto quanto modificada da original - e eu ainda não decidi se foi para o bem ou para o mal. Devo admitir que talvez tenha sido uma maneira mais fácil de conduzir o filme, mas senti falta de alguns personagens que não apareceram e estranhei os que foram "acrescentados", porque eles aparecem muito subitamente e sem maiores explicações. O que não me agradou em nada foi o fato de terem alterado o desfecho: no livro, ficamos ainda mais tensos com o fim, já no filme a reação é de confusão e quebra de expectativa - de uma forma ruim.
O longa vale muito a pena pela atuação da jovem Patty McCormack e como um complemento à leitura do livro, mas não substitui a experiência da obra original de forma alguma.
Lançamento: 1956
Duração: 2h 09min
Direção: Mervyn LeRoy
Gênero: Suspense, Drama, Terror

Até a próxima!