04/09/2016

Bullet Journal: bye-bye procrastinação!

O bullet journal é um método de organização que conheci há pouco tempo, durante o BEDA, mas já o considero indispensável. Além de ter sido um verdadeiro salvador de vidas durante o desafio, ele também me ajudou a não deixar outras coisas importantes de lado: como textos que eu deveria ler, compromissos e tudo o mais. Hoje vim apresentá-lo para vocês e mostrar um pouco como funciona.
Criado pelo americano Ryder Carroll, um diretor de arte de Nova Iorque, o bullet journal tem como objetivo reunir em um mesmo lugar todos os lembretes, planos, tarefas diárias e compromissos do dia a dia. Além de ter múltiplas funções, ele pode ser direcionado para as necessidades de cada um: conter apenas tópicos de estudo, rotina de limpeza da casa ou prazos do trabalho. Ou tudo isso!

Como montar seu bullet journal

Para começar a se organizar, você vai precisar de um caderno. Os mais utilizados são os quadriculados, que ficam muito fofos e bem organizados. Mas também pode-se utilizar qualquer caderno que quiser: seja com folhas pautadas ou em branco, o que importa é que ele esteja sempre com você.
O bullet journal utiliza um sistema de legendas para facilitar a divisão entre  tarefas, compromissos e o grau de importância deles. Existem várias ideias de ícones pela internet, mas com o tempo nosso próprio estilo aparece - e funciona bem melhor do que nos prendermos à legendas pre-determinadas que encontramos por aí, afinal, cada um usa o método da melhor forma para si.
Na foto acima, por exemplo, os tipos de atividades são separados por cor. No meu caso isso não seria nada prático, visto que eu adiciono tarefas a todo momento e não gostaria de andar com tantas canetas. Uma ideia deste BJ que eu quero aderir é a diferenciação feita na tarefas: por enquanto uso apenas tarefa a fazer e tarefa cumprida, se ela é cancelada simplesmente a risco da lista. Acho que poder marcar que a tarefa foi iniciada é bem mais motivador - especialmente se for uma tarefa longa.
Todas as páginas do seu bullet journal serão numeradas e na primeira teremos um índice, como indicado acima. Coloca-se o mês e, ao lado dele, a página em que ele começou e em que ele terminou - ou seja, o índice será preenchido aos poucos, conforme a passagem dos meses. Essa página é muito útil por uma questão de consulta: por exemplo, se você iniciou um projeto em janeiro, é muito mais fácil saber onde ele está do que sair folheando todo o seu caderno até achá-lo.
Depois do índice, terá início o calendário mensal. Nesta página (à esquerda na imagem acima), os dias do mês ficam listados e pode-se escrever do lado datas comemorativas ou compromissos importantes. Também podem ser anotadas metas e tarefas para aquele mês. Na página da direita desse exemplo, começa o calendário diário, na qual colocamos a data daquele dia e as tarefas a serem realizadas.
Uma das maiores vantagens desse método é, certamente, a sua versatilidade. O que mostrei aqui é só sua forma básica: você pode adaptá-lo da forma que você quiser. Se você possui o projeto de ler 50 páginas por dia, por exemplo, ao invés de escrever esta tarefa todos os dias você pode criar uma página específica para acompanhar seu processo.

Opinião de quem usa o bullet journal

Isabelle Felício


Inventário da Sobrevivência


Querido Click


Maria Lowen