20/04/2017

7 coisas sobre mim

Já comentei algumas vezes que tenho muita dificuldade em expressar os meus sentimentos. E um dos fatores mais impactantes pra isso é o fato de não saber quanto eu posso e devo compartilhar sobre mim mesma - o resultado disso foi que raramente alguém me conhece de verdade simplesmente porque eu não deixo ninguém entrar. Pensando nisso, resolvi trabalhar esse aspecto da minha personalidade, falando um pouco mais sobre mim e me abrindo no lugar onde eu me sinto mais confortável para isso: aqui.


7. Nunca estou satisfeita

E não é no sentido de reclamar muito da vida. É mais por querer engolir o mundo: sempre estou em busca de mais conhecimento, de novas atividades, de coisas que me fascinem. É muito provável que você me veja estudando com afinco um livro de astrologia em um dia e no seguinte mergulhando na complexidade da tanatologia

6. Se eu gosto, é pra valer

Vez ou outra, encontro algo que me agrada tanto que eu crio uma fixação incontrolável por aquilo. Um exemplo bem recente é o meu caso de amor platônico pela Melanie Martinez: eu passei semanas ouvindo apenas o álbum dela, sem exagero. Caso vocês não estejam acompanhando, estou fazendo uma série postagens com teorias sobre as músicas de Cry Baby

5. "Aquele quadro tá meio torto..."

Alguns dias atrás, fui a um encontro de amigos para comemorar o aniversário de um deles. A primeira coisa que notei assim que entrei no local, foi que o quadro estava terrivelmente torto: não deu outra, tive que consertar para me sentir confortável durante o resto da noite.
Meu perfeccionismo é bem alto e traz muito sofrimento mental - coisas que pareciam perfeitamente aceitáveis repentinamente passam a ser intoleráveis, e se eu não consigo resolver rápido minha ansiedade aumenta muito (mas esse assunto é de outro tópico).
Outro exemplo: há um tempo atrás eu estava usando o Bullet Journal para me organizar, mas algumas inspirações do Pinterest me fizeram querer muito um quadro de cortiça. A partir do momento em que eu coloquei na cabeça que seria uma forma melhor de visualizar minhas tarefas, o BuJo parou de funcionar. Pra piorar a situação, fiquei semanas numa angústia enorme porque não conseguia ficar satisfeita com a decoração e disposição do quadro. 

4. O número da perfeição

Talvez vocês tenham percebido, talvez não... Mas eu tenho uma séria obsessão pelo número sete - e acho que foi por isso que me identifiquei tanto com A Menina Submersa, a ponto de se tornar o meu livro favorito.

3. O significado da minha tatuagem

O desenho da minha tatuagem é autoral (sim, eu desenho um pouco) e carrega um significado muito forte pra mim: ele foi feito, originalmente, na parede do meu quarto como uma despedida - vocês vão entender mais sobre isso lendo a postagem em que eu falo sobre Os 13 Porquês e desabafo um pouco.
Depois que deu errado (ou certo, depende do ponto de vista rs), eu decidi que queria aquela imagem gravada no meu corpo, para que nunca esquecesse o que eu vivi. A tatuagem me traz força, porque me lembra das coisas que eu fui capaz de superar e suportar - faz com que eu me sinta capaz de ultrapassar qualquer obstáculo.

2. Um pouco bugada

Tal qual Imp, eu carrego uma maldição na minha família materna: nós temos uma tendência para a depressão crônica. Eu sei, não chega a ser tão trágico quanto esquizofrenia, mas causa tanto sofrimento quanto. Além disso, também tenho transtorno de ansiedade - no nível de sentir que os ambientes estão se fechando sobre mim e passar noites em claro porque o tremor não me deixa dormir. 
A combinação desses dois elementos influenciam muito no meu quadro de transtorno dissociativo de identidade - ainda não diagnosticado (o processo para confirmação leva alguns anos), mas com uma experiência bem real e complicada. Não sei se cabe explicar extensivamente do que se trata nesse post, mas se vocês quiserem posso contar um pouco mais depois. 

1. O projeto mais importante da minha vida

Não importa o quanto eu repita isso, sempre vou sentir que não foi o suficiente: criar esse blog foi a melhor decisão que eu tomei - e a transformação pela qual ele está passando também. O que vocês estão vendo na tela do seu computador ou celular não é apenas um conteúdo que eu passei algumas horas criando: é um pedaço de mim. Vocês me conhecem um pouco melhor a cada caractere das minhas postagens, mesmo que não percebam isso tão claramente... porque eu me dou inteira para cada palavra escrita aqui.
Não consigo imaginar como teria sido a minha vida se eu não tivesse esse cantinho para desabafar e ser quem eu sou de verdade - e, por isso, sou muito grata. Obrigada 💙