15/05/2017

Achados na Livraria - só uma olhadinha...

Nenhum bookaholic consegue passar por uma livraria e não se sentir tentado a entrar e "dar só uma olhadinha". Claramente essa prática resulta em alguns gastos inesperados, mas fazer o quê? Não dá pra evitar... Pensei que seria interessante compartilhar com vocês os livros que mais me interessaram nessas visitas esporádicas à livrarias, utilizando alguns critérios: só os sete primeiros entram na lista e não são válidos livros que eu já tinha visto/ouvido falar, o livro deve chamar minha atenção pela capa e me conquistar de vez pela sinopse.

Cliquem nas capas para acessar o Skoob dos livros! Por sinal, já me adicionaram? Vamos conversar por lá!

Uma fuga perfeita é sem volta, de Marcia Tibiri

Funcionário da chapelaria de um museu, Klaus mora sozinho em um velho apartamento no bairro turco de Berlim. Depois de anos sem contato com a família no Brasil e após uma noite mal dormida, telefona para a irmã, Agnes, que, em meio a trivialidades, revela que o pai está morto há meses. A partir dessa descoberta, Klaus se entrega à dúvida entre voltar ao lugar em que nasceu e avaliar os motivos pelos quais escolheu a distância ou permanecer e lidar com a condição de estrangeiro, a dificuldade com a língua alemã, a gagueira e a configuração corporal sexualmente confusa que o aflige. Em um contexto de incansável meditação sobre questões éticas e afetivas, Marcia Tiburi desenvolve as questões de um narrador angustiado em constante fuga, mas que encontra, em uma saída surpreendente, um sinal para seguir com a vida.
Nada mais justo do que esta obra ser a primeira citada, visto que foi por causa dela que a ideia da coluna surgiu. Quando entrei na livraria, meus olhos foram imediatamente atraídos por essa capa - que projeto gráfico lindo, não acham? O título me deixou extremamente curiosa e a sinopse me deixou simplesmente encantada. Definitivamente, desejado!

A livraria mágica de Paris, de Nina George

O livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco-livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rue Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Sucesso de público e crítica, repleto de momentos deliciosos e salpicado com uma boa dose de aventura, A livraria mágica de Paris é uma carta de amor aos livros — perfeito para quem acredita no poder que as histórias têm de influenciar nossas vidas.
Uma capa extremamente fofa e a história de um livreiro que sabe qual o livro da sua vida... Tem como um leitor não se interessar por essa obra? Sinceramente, é até infiel - não dá pra resistir à essa combinação.

Um tom mais escuro de magia, de V. E. Schwab

Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.
Meus gostos são peculiares, você não entenderia... Em um contraste bem marcante com os outros dois livros, me interessei por essa capa que é ao mesmo tempo simples e chamativa: vermelho e preto casam bem demais! Fiquei um tanto quanto confusa e fascinada pela sinopse: é muita informação e eu preciso entender o que tá rolando nesse livro.

O Pântano das Borboletas, Federico Axat

Sam e Billy têm 12 anos e moram na pequena Carnival Falls. Amigos inseparáveis, eles percorrem o bosque de bicicleta e preparam-se para terminar a construção da sonhada casa na árvore. Compartilham tudo, inclusive a paixão por Miranda, a menina rica que acaba de se mudar para a cidade. Juntos, os três vivem as descobertas e as transformações típicas da idade e desvendam o mistério que assombra a vida de Sam: o paradeiro de sua mãe. Com esses ingredientes e doses generosas de lirismo, Federico Axat escreveu uma história admirável sobre a delicada passagem da infância para a adolescência e desta para a vida adulta. Mas não só. Romance de crescimento e suspense com incursões pelo fantástico, O pântano das borboletas reserva uma desconcertante reviravolta final: um segredo que, revelado, arremessa o leitor em um torvelinho de emoções e confere à trama um sentido totalmente novo.
Confesso que eu me interessei muito mais pelo título, que carrega uma delicadeza do que pela capa desse aqui. Como eu já disse, capas com pessoas não costumam me chamar a atenção - provavelmente por já ter tantas assim por aí. Gostei muito da premissa, porque aparenta ter um simplicidade cheia de reflexões profundas!


A Menina Que Não Acredita em Milagres, de Wendy Wunder

Campbell tem 17 anos. Ela não acredita em Deus. Muito menos em milagres
Cam sabe que tem pouco tempo de vida, por isso quer viver intensamente e fazer tudo o que nunca fez, no tempo que lhe resta. Mas a mãe de Cam não aceita o fato de perder a filha, assim, ela a convence a fazer uma viagem com ela e a irmã para Promise um lugar conhecido por seus acontecimentos miraculosos. Em Promise, Cam se depara com eventos inacreditáveis, e, também, com o primeiro amor. Lá encontra, finalmente, o que estava procurando mesmo sem saber. Será que ela mudará de ideia em relação à probabilidade de milagres? “A Menina que não Acredita em Milagres” vai fazer você rir, chorar e repensar sua conduta de vida.
Eu estou simplesmente apaixonada por essa capa. Pela imagem não dá pra ter ideia do tanto que ela é bonita pessoalmente, sério! Gostei um tanto da premissa, mas estou com um pouco de medo da "solução" de tudo ser um romance fraco... Só lendo pra descobrir haha

O Livro de Sangue e Sombra,  de Robin Wasserman

Quando tudo parecia caminhar bem, um atraso para um encontro muda a vida de Nora Kane para sempre. Seu melhor amigo, Chris, está morto; a namorada dele, Adriane, em estado catatônico; e Max, o príncipe encantado de Nora, desaparecido. Mas o que parecia um pesadelo ruim o suficiente, fica ainda pior quando Max se torna o principal suspeito do crime. Desesperada para provar a inocência do namorado, a jovem, que trabalha num projeto de pesquisa traduzindo antigos manuscritos do latim, segue a trilha de sangue sem se importar com o destino final. E ele vai levá-la dos Estados Unidos à histórica Praga, e ao centro de um enigma que inclui uma teia obscura de sociedades secretas movidas pela ambição de encontrar a Lumen Dei, uma misteriosa máquina que contém a receita para o conhecimento supremo e para a comunhão com o divino, e que estaria enterrada num manuscrito de centenas de anos.
Eu não sei se entendi direito esse livro, parece que é meio steampunk com suspense policial... sei lá. Me deixou curiosa. Mas agora que vi as notas no Skoob desanimei bastante, pra ser bem sincera.

Criança 44, de Tom Rob Smith

O romance é baseado na história real do assassino em série russo Andrei Chikatilo, também conhecido como o Estripador de Rostov, que foi o responsável por 52 assassinatos na União Soviética. Além de destacar o problema da criminalidade da era soviética, em um estado onde "não há crime", o romance também explora a paranóia da época, o sistema de educação, o aparato da polícia secreta, orfanatos, a homossexualidade na URSS e o descaso com os hospitais psiquiátricos. O livro é a primeira parte de uma trilogia. A segunda parte é chamada de O Discurso Secreto e também apresenta o personagem de Liev Demidov e sua esposa, Raíssa Demidova.
A capa desse livro que lembrou Os Meninos de Gateville, uma obra nacional que eu gosto e recomendo muito - e admito que foi a razão pelo meu interesse inicial. Também gostei muito da premissa e, embora não seja uma das prioridades, quero muito ler!

O que vocês acharam dessa coluna? Se interessaram por algum título dessa lista? Me contem nos comentários!