02/07/2017

Não era você que eu esperava | Fabien Toulmé

Como lidar com o diferente?

Ter um filho - especialmente um planejado, amado e cuidado pelos dois progenitores - é um dos momentos mais mágicos de um casal. E também o mais desafiador. Não basta apenas olhar os aspectos positivos dessa escolha, porque a surpresa com os obstáculos a serem enfrentados pode ter as piores consequências. E o que fazer quando, além de tudo, seu filho nasce com Síndrome de Down e você não sabe lidar com isso?
Livro "Não Era Você que eu Esperava"
Fabien Toulmé e sua esposa estão esperando ansiosamente pelo seu segundo bebê. Já tendo uma garotinha de quatro anos, saudável e em pleno desenvolvimento, imagina-se que eles não tivessem muito com o que se preocupar, certo...? Errado. Um dos maiores medos de Fabien, um pesadelo que tirava seu sono à noite, era de que pudesse ser pai de uma criança portadora de trissomia 21. Um tanto quanto preconceituoso, o futuro papai faz questão de consultar uma série de médicos sobre a possibilidade de seu temor se tornar realidade e - embora todos tenham atestado a perfeita saúde do bebê - nasce uma encantadora garotinha com Síndrome de Down. 
Fabien terá a oportunidade de rever o seus conceitos sobre o que é ou não "normal" por meio da vivência das dificuldades enfrentadas e das alegrias de cada conquista do dia-a-dia de uma família que escolheu amar e cuidar de um portador da trissomia 21. E, quem sabe, talvez tenha o seu coração conquistado pelo privilégio que é conviver com alguém que faça de todos os nossos dias uma nova experiência, um imenso aprendizado.
Livro "Não Era Você que eu Esperava"

O que é "normal"?

Acho que o aspecto mais marcante dessa obra é, justamente, a discussão que traz sobre o que nós consideramos normal - e mais, sobre como tratamos aqueles que não se encaixam nos nossos quesitos. O que você enxerga quando olha para um portador de deficiência ou de necessidades especiais? Alguém que, assim como você enfrenta os seus próprios obstáculos para alcançar o desenvolvimento? Ou alguém, de certa forma, inferior e digno de pena?
E não é apenas com os olhares que o casal se sente desconfortável. Também aquelas "brincadeiras inocentes" que envolvem chamar o próximo de retardado ou coisas similares, o que faz com que a situação alheia pareça motivo de chacota e vergonha. Passou da hora de revermos nossas atitudes para com aqueles que, embora diferentes, são pessoas tais como a gente. 
Livro "Não Era Você que eu Esperava"

Okay, e a mãe?

Uma coisa que me incomodou um bocado com o decorrer dos quadrinhos foi perceber a pouca participação que a mãe de Júlia, Patricia, teve na história. Não no sentido de ser ausente, mas sim de Fabien não retratar também o que ela sentiu com toda a situação. Houve, inclusive, alguns momentos em que ele deixou a entender que a mãe foi obrigada a se acostumar mais rapidamente porque era quem cuidava da criança; enquanto o pai passava por uma fase de negação  pesada - chegando inclusive a não conseguir amar a filha, abraçá-la ou meramente dar banho -, Patrícia teve de lidar com todo aquele peso sozinha. 
Mais uma vez vou bater naquela tecla que todos nós já deveríamos estar carecas de saber: um filho é responsabilidade de ambos os progenitores. Por mais que a situação esteja insuportável para um dos dois, é injusto deixar tudo na mão do outro - ele vai ficar sobrecarregado, frustrado e o que era para ser maravilhoso será um suplício. O casal deveria passar por essas situações difíceis por meio do apoio mútuo, do diálogo e do carinho que os une... não simplesmente jogar para cima quando algo dá ruim, e esperar que o parceiro dê conta de segurar a barra.
Livro "Não Era Você que eu Esperava"

Mas estou feliz por você ter vindo

Eu não tenho muito costume de ler quadrinhos e, inclusive, é um hábito que eu gostaria de alimentar: são leituras rápidas, fluidas, ótimas para dar aquele descanso entre livros mais pesados. E essa leveza não implica, necessariamente, abrir mão de temas mais polêmicos e sérios, como é o caso de Não era você que eu esperava. Para mim, que nunca tive contato próximo com algum portador da trissomia 21, foi uma experiência valiosíssima descobrir mais - tanto sobre a deficiência quanto sobre as dificuldades que ela apresenta para os próximos.
A Editora Nemo caprichou muito na edição, e acho que isso contribuiu bastante para o meu encantamento pela obra. Os traços de Fabien Toulmé são simples e bonitos, cada capítulo é ilustrado todo em uma cor - tendo inclusive flashbacks com cores de capítulos passados! A leitura é muito fácil, são poucos quadrinhos por página, com letras legíveis e um humor sutil que torna a leitura ainda mais gostosa.
Livro "Não Era Você que eu Esperava"
Não era você que eu esperava é uma obra que vale a pena ler, em qualquer situação: independente se você é papai ou mamãe de um criança com Síndrome de Down, se é um familiar que quer aprender a lidar melhor ou apenas alguém que gostaria de se informar (até para evitar aquelas gafes que podem ofender todos os próximos do portador). Foi uma experiência que eu aproveitei bastante, pelos novos horizontes que me foram apresentados e, como diz o próprio Fabien: não era você que eu esperava, mas estou feliz por ter vindo.

Título: Não era você que eu esperava | Autor: Fabien Toulmé | Editora: Nemo | Páginas: 256 | Skoob

Ótimo

Vocês já conheciam essa obra? Convivem com algum portador da Síndrome de Down? Me contem nos comentários!