Destaques

Newsletter

18/11/2018

Em outra vida, talvez? | Taylor Jenkins Reid

Nós abominamos spoilers. Você está seguro.

A vida é feita de escolhas

Às vezes, nos sentimos um tanto quanto perdidos: é nesses momentos que começamos a remoer todas as decisões que tomamos no passado e a questionar se tudo seria diferente no presente caso tivéssemos agido diferente. Hannah Martin sabe bem como é a sensação. Em seus vinte e nove anos, ela sente que nunca encontrou verdadeiramente seu lugar ⎼ talvez por isso tenha pulado de Boston para Washington, de lá para Portland, e então para Seattle, Austin e Nova York antes de finalmente voltar para Los Angeles, sua cidade natal. Quem sabe? Voltar ao início pode ser uma boa forma de colocar sua vida nos trilhos.
Em outra vida, talvez?, de Taylor Jenkins Reid

O plano é relativamente simples. Comprar um carro, arrumar um emprego e dar entrada em um apartamento para chamar de seu ⎼ é isso que define uma vida bem sucedida, certo? Certo. Enquanto isso, não é nada mau poder contar com um tempo hospedada na casa da sua melhor amiga de infância, Gabby: é um pouco estranho, porém, que em nada a amizade tenha mudado quando em suas vidas tudo mudou. Enquanto Hannah sofre pelos cantos pela última grande desilusão amorosa, Gabby discute com seu amado marido o desejo de ter um cachorro se divertindo pela casa.

❝Isso me absolve até certo ponto, não é? Se as coisas têm de acontecer de determinada forma, isso significa que eu não tenho de me preocupar tanto com as consequências e com os meus erros.❞


Para comemorar a mudança e deixar para trás as memórias dos passos em falso, nada melhor do que uma noite no bar para reunir os amigos do velhos tempos que agora farão parte dessa nova (e se tudo der certo, melhor) fase da vida de Hannah. O que ela não sabia, não tinha como saber, é que não estava preparada para reencontrar Ethan, seu ex-namorado da adolescência: sim, claro, a amizade deles se manteve até então, mas vê-lo pessoalmente... fez com que velhos e adormecidos sentimentos dessem as caras. No final da noite, tanto Gabby quanto Ethan lhe oferecem carona para casa. Com quem ela irá? A vida é feita de escolhas... e até mesmo a menor delas pode mudar completamente o seu destino ⎼ se é que você acredita nisso, claro. 
Leitura e pãozinho de canela

Literalizando...

A partir deste momento, a narrativa de Em outra vida, talvez? se dividirá em duas "realidades", por assim dizer: uma na qual Hannah aceita a carona de Gabby; e outra, na qual ela conclui que nada é melhor do que viver tudo o que o momento tem a oferecer ⎼ o que, neste caso, implica em ir para casa um pouco mais tarde com Ethan. Os capítulos, narrados em primeira pessoa pela própria Hannah, são intercalados entre os dois cenários de forma que a leitura se torna muito rápida: além de nos conectarmos com os medos e anseios da protagonista, é simplesmente impossível não querer saber o que será de Hannah no próximo capítulo. A autora foi muito bem-sucedida em elevar a outro nível a expressão "só mais um capítulo": a escrita direta e de fácil compreensão só colabora para a fluidez que torna a obra difícil de deixar para depois.

❝Destino ou não, nossas vidas continuam sendo o resultado das nossas escolhas. Estou começando a achar que, quando não nos apropriamos delas, não somos nossos próprios donos.❞


Não há um grande aprofundamento em certas temáticas abordadas ⎼ o que não considero como um ponto negativo da obra, visto que seu objetivo não era de fato suscitar tais debates mas trazer reflexões singelas sobre o que seria o destino e se é de fato justo nos apoiarmos unicamente nele. A presença de outros elementos, ademais, fazem bem o seu papel de tornar a obra cativante aos olhos do leitor:  os personagens secundários estão longe de serem apenas coadjuvantes, tendo suas próprias personalidades e dramas particulares; o amadurecimento da protagonista, que percebe que é preciso começar a encarar de frente as consequências de suas escolhas, é perceptível; e o romance é encantador... independente da maneira como ele se dá ⎼ e devo admitir que este foi um aspecto que muito me surpreendeu no decorrer da trama: tinha outras expectativas e fiquei muito satisfeita ao perceber que estava errada.
Leitura e pãozinho de canela
Em outra vida, talvez? é uma obra de romance, voltada para o público jovem adulto feminino devido à sua classificação como chick-lit: livros leves, divertidos e charmosos que retratam a mulher moderna, independente, culta e audaciosa. Muito importante dizer, porém, que não é limitado ao público do sexo feminino (por favor, né), visto que trata de temas como o destino e as consequências de suas escolhas ⎼ questões que permeiam as reflexões de todos nós! Pode não ser um livro que muda vidas, mas posso dizer que lembrarei dele com um carinho todo especial daqui em diante. Recomendo!

❝Acreditar no destino é um pouco como viver no piloto automático.❞


Aleatoriedades

  • Hannah ama pãozinho de canela tanto quanto eu amo café ⎼ talvez mais. Essa resenha não faria sentido sem o quitute preferido da nossa protagonista e o resultado foi um domingo muito enfarinhado com meu namorado tentando, pela primeira vez em nossas vidas, sovar uma massa.
  • O relacionamento de Hannah com Ethan me atingiu de um forma particular. O motivo? Eu também tenho um ex-namorado da época de adolescência que ainda amo (e sempre vou amar!). A diferença, muito importante por sinal, é que hoje ele é meu melhor amigo ⎼ e estamos muito bem com isso, obrigada!
  • Sério, o pãozinho de canela estava muito bom. Querem a receita?

Título: Em outra vida, talvez? | Autor: Taylor Jenkins Reid | Ano: 2018 | Páginas: 320 | Compre na Amazon
Comprando por este link, você ajuda o blog a crescer ⎼ e não paga nadinha a mais por isso!


Ufa! Ainda estão por aí? O que acharam do livro? Me contem nos comentários!

VOA, LIBELINHA
VOA! 🙘

Comentários via Facebook

@literalize.se

© Literalize-se – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in