Destaques

Newsletter

03/02/2019

Eu sou a lenda | Richard Matheson

Nós abominamos spoilers. Você está seguro.

Vale a pena resistir mesmo sem motivação?

A vida não tem a menor obrigação de não ser cruel. Inúmeras chagas podem assolar a vida de um único ser humano e as possibilidades são tantas que chega a ser vertiginoso. Por sorte, vivemos em sociedade e temos pessoas ao nosso lado ⎼ sofrendo conosco ou não ⎼ para amenizar tamanha dor. Porém… O que você faria, a quem recorreria na intenção de compartilhar qualquer coisa, boa ou ruim, caso todos morressem? No que você se seguraria se toda a companhia que você tivesse fosse a sua mente cada dia mais vacilante?
Livro "Eu sou a lenda", de Richard Matheson

Essa é a situação de Robert Neville. Um homem antes comum que, no auge de seus 35 anos, gozava de um emprego estável, de um relacionamento forte com a mulher de sua vida e uma linda filha. Graças a uma praga silenciosa que ninguém conseguiu identificar a tempo, todas as pessoas da cidade vieram a falecer ⎼ exceto Neville. Neville não poderia ter a sorte de morrer como todo mundo, não é mesmo? Não bastasse ver sua família morrer devagar, não bastasse ser obrigado por lei a jogar sua filha numa fogueira junto com as outras vítimas, tinha também de lidar com eles.

❝Ah, todos sabiam que era alguma coisa, mas não podia ser aquilo. Aquilo, não. Aquilo era coisa da imaginação, aquilo era superstição, aquilo não existia.❞

Acontece que aqueles mortos pela praga ⎼ e por vezes até mesmo os simplesmente infectados ⎼ se tornaram criaturas sanguinárias, que agora vagam pela noite caçando os que se mantém vivos e saudáveis: no caso, apenas Neville. O homem que conhecemos como o último sobrevivente da raça humana faz de tudo para sobreviver: durante as poucas horas que o astro-rei lhe abençoa com sua luz quente, mata o máximo de vampiros enquanto estão vulneráveis em seu coma diurno e realiza reparos sistemáticos em sua fortaleza doméstica. À noite se esconde em sua casa como um animal acuado, tendo como companhia apenas música, bebida e seus pensamentos à beira da insanidade.
Livro "Eu sou a lenda", de Richard Matheson

Literalizando...

A narrativa de Eu Sou a Lenda é fluida e o enredo toma um ritmo eletrizante, o que torna ágil o avanço. Embora o contato com clássicos seja comumente evitado devido à suposta complexidade de sua leitura, esse não é um livro a ser temido ⎼ muito pelo contrário, é um livro bastante acessível para quem não está acostumado a esta categoria, sendo quase atemporal. O uso dos vampiros para o desenrolar da estória foi inédito em seu tempo: o autor fez questão de nadar contra a corrente e abordar os vampiros de uma forma bem científica, se aproveitando na medida certa de áreas do conhecimento como fisiologia e bacteriologia, ao contrário do viés fantástico que outras obras da mesma época utilizavam para retratar os monstros bebedores de sangue ⎼ que estavam bem famosos na década de 50, quando Eu Sou a Lenda foi publicado originalmente.

❝O mundo ficou louco, pensou. Os mortos andam por aí e eu acho isso normal.❞


A maneira como os sentimentos do protagonista são abordados é profunda e cativante, chegando ao ponto de tornar sua rotina excruciantemente repetitiva interessante demais para afastar os olhos. O sentimento de solidão é facilmente captado e as esperanças de Neville (tolas ou não) são também a esperança do leitor. A obra peca, porém, na abordagem estereotipada dos papéis masculinos e femininos das criaturas: enquanto os homens tentam quebrar as janelas e encontrar brechas nas defesas de Neville, as mulheres o provocam, com o intuito de vencê-lo através de seus instintos sexuais aparentemente incontroláveis. Essa construção, além de nada adicionar na obra, apenas contribui para a fixação da imagem social do homem como sexualmente incontrolável e pior, da mulher como simples objeto sexual. Ler Eu Sou a Lenda é basicamente um mergulho de cabeça e sem volta nos pensamentos de Robert Neville, podendo lhe transportar rapidamente da empatia para a repulsa.
Livro "Eu sou a lenda", de Richard Matheson
Eu Sou a Lenda é uma obra de ficção científica e terror, e aborda a árdua sobrevivência do último ser humano num cenário pós-apocalíptico altamente ameaçador, além de suas reflexões sobre o sentido da solidão e da sua própria existência. É uma leitura pesada emocionalmente, porém bastante rápida e por vezes sucinta ⎼ não que esse último aspecto seja um dos pecados da obra. É uma ótima leitura para quem não tem muita familiaridade com a temática dos vampiros ou até mesmo com ficção científica.

❝A maldição do torturado, pensou, é acabar se acostumando até mesmo ao açoite.❞

Aleatoriedades

  • Foi muito difícil escrever essa resenha sem parecer completamente parcial. Meu amor por esse livro foi tão grande que li ele em menos de 24 horas, algo que eu não fazia há anos!
  • Essa foi mais uma das minhas compras impulsivas na Black Friday. Não sabia nada sobre a obra além do que vi no filme homônimo de 2007.
  • Fiz questão de ler esse livro depois que fiquei sabendo que os monstros noturnos eram vampiros, tudo por causa da minha experiência incrível com os romances do André Vianco.
Título: Eu Sou a Lenda | Autor: Richard Matheson | Ano: 2017 | Páginas: 382



Ufa! Ainda estão por aí? Vocês já leram "Eu sou a lenda"? Se sim, o que acharam do livro? Se não, têm interesse em ler? Já viram o filme? Me contem nos comentários!
Não deixem de seguir o Literalize-se nas redes sociais para mais conteúdo: Instagram | Facebook | Twitter

VOA, LIBELINHA
VOA! 🙘


Comentários via Facebook

@literalize.se

© Literalize-se – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in